Tudo o que você quer, é dormir. Acorda, e pensa: Caralho.

Você não tem mais esperanças na humanidade. Não tem mais esperanças em si mesmo.

Você acorda tarde, e a primeira coisa que faz é chorar.

Você dorme tarde, esperando o sono chegar, enquanto se afoga em lágrimas.

Parece que tudo o que te restou são lágrimas. Não de felicidade. Não de sofrimento. Mas de nada. Absolutamente NADA.

Você pensa que tem momentos felizes, mas na realidade você nada sentiu.

Quer parar de fingir. Fingir que está tudo bem com você, porque não está.

Seu sorriso falso. Sua falta de brilho no olhar. Mostram o quanto você perdeu a vontade de fazer tudo aquilo que amava.

As pessoas jogam na sua cara o quanto você é uma pessoa inútil, como você só faz merda, o quão culpada você é quando acontece algo ruim. Além de conviver com isso, tem que lidar com a bagunça do seu mundo, que você também já não aguenta mais.

Se jogam na cara o quão depressiva? Sim.

Você é uma pessoa tão agradecida por tudo que tem, mas ainda assim, não consegue sentir nada.

Não sabe explicar o porque de tanto desânimo, de tanto desespero, de tanta psicopatia, de tanta apatia, de tanta falsa dor, de tanto vazio.

A perca do interesse na vida, em ti, só aumenta.

E cavando, cada vez mais fundo, está o buraco.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.