Reflexo

7 horas da manhã

Vou à cozinha, preparo um café
 Volto ao meu quarto
 Contemplo-me no espelho
 Vejo minha face jovem, despreocupada

Olho pela janela

Um homem velho está na janela do prédio ao lado

Acaba de acender seu milésimo cigarro

Tem uma garrafa de bebida barata ao seu lado

Possui olhos devastados pelas memórias

Uma fisionomia de quem não dorme direito há alguns anos

Me observa atentamente

Às vezes a vida acaba com seus sonhos de repente

Pode estar lá, cheio de sonhos

E quando você menos imagina

Está aqui, jogado na sarjeta

O momentâneo chegava a me trazer fortes emoções

A grande força que era minha aura

Agora nem tenho mais alma

Só o que sei é que o sol ainda estará de pé amanhã

Iluminando as esperanças nos olhos de jovens sonhadores

Por isso agora fujo do sol, não quero que percebam

Que agora, meus olhos

Deixaram de brilhar

Ver aquele velho homem, com uma expressão fechada

Me fez ter um arrepio

Refleti tenebrosamente

Que aquele velho que eu observava

Era apenas meu futuro retrato

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.