O Golpe Branco no Brasil

Com base numa postagem do Facebook, onde questionava-se o uso do termo “golpe” resolvi ir atrás do assunto, li coisas superficiais na internet mas que fazem muito sentido se pensarmos na situação atual do Brasil. A postagem era esta aqui abaixo:

Nos comentários havia muita gente criticando o uso da palavra “golpe” para se referir ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, com alegações de que está tudo acontecendo legalmente e ninguém está sendo oprimido ou impedido de defender a presidenta. No entanto, o que não sabem é que não se trata de um golpe clássico, mas sim de um golpe branco ou neogolpismo que é um golpe maquiado com a ideia de que tudo está ocorrendo de acordo com a constituição do país, algo maquiado .

Golpe branco é uma expressão usada na historiografia e na ciência política para se referir a uma conspiração ou trama que tem por objetivo a mudança da liderança política (ou, em alguns casos, da ordem vigente) por meios parcial ou integralmente legais.

No Brasil, segundo diversos especialistas e intelectuais, o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff teria sido injustificado por se assentar sobre bases discutíveis e pouco sólidas, supostamente não se afigurando crime de responsabilidade nas condutas a ela atribuída. O golpe branco não está sendo inaugurado no Brasil, o termo é reconhecido na Europa e em toda a América Latina também.

O diplomata Samuel Pinheiro Guimarães já denuncia em 2012 para a Folha de São Paulo como golpe branco o ocorrido no Paraguai. Em 22 de junho de 2012 o presidente Fernando Lugo sofreu um impeachment — segundo o diplomata a reforma agrária pretendida pelo governo seria uma das principais razões para o ato. Ele também comenta que o enfraquecimento de governos progressistas dos países do bloco faz parte da política exterior estadunidense e ressalta:

O projeto dos EUA para a América do Sul não é o Mercosul, e sim as “mini-Alcas” bilaterais, Aliança do Pacifico.

Referências:

http://www.ocafezinho.com/2012/06/29/o-neogolpismo-na-america-do-sul/

Like what you read? Give Pablo de Moraes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.