Fonte: https://rpglands.wordpress.com/tag/vilarejo/

Um certo vilarejo

Há em mim muitas moradas.

O tolo mora em mim.
O asqueroso mora em mim.
O desonesto tem se sentido só, mas ainda não se mudou.
O machista também tem seu canto, assim como o preconceituoso.
O manipulador, o vitimista, o melindroso, o ciumento, o chato — ah, esse persistente — todos ainda perambulam por cá.

E esta vila cresce a cada dia, graças à expansão de um grupo um tanto ambicioso.

O sábio, sempre otimista, passa seu tempo trocando ideias com o tolo.
Enquanto o puro vai mostrando os benefícios da higiene moral ao asqueroso.
O honesto fica sem graça ao esquecer o nome do desonesto, quando este o visita.
A mulher da casa com o belo jardim se ri das infantilidades do machista, que a inveja à medida em que ela é alçada à gestão da vila.
E o preconceituoso fica envergonhado quando é recebido com um abraço pelos seus vizinhos.

E assim, com suas infinitas moradas, esta vila incongruente, amorfa, agitada, é visitada por você. E, por ser ampla, não espero que a conheça de todo de uma só vez ou mesmo depois de setenta vezes sete visitas.

Mas, se acaso calhe de você ir parar na casa do tolo, do melindroso ou do machista, não se apegue a esta primeira impressão.

Há muito mais a conhecer, que tal um passeio de balão?

Goiânia, 14/01/16, 16h.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.