Intinerário

Ah..

Os muros são cinzas

E eu só vejo neblina

Nada sai do lugar

-

Ah..

Os tempos são outros

Já disseram os mortos

O pior já passou

-

Foram-se em meio ao aguaceiro

Que caiu também lá perto de Vinhedo

Onde o céu e os amuletos

Não refletem a calma

Não encontram a si

-

A vida segue um intinerário

Todos os ciclos estão fadados a um fim

Tudo tem um fim..

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.