Azar ou vacilo?

Por que eu preciso desejar tudo de bom em toda virada de ano? Faria sentido alguém desejar algo ruim? Se é tão óbvio que é preciso desejar algo de bom, que sentido isso tem?

Vejo uma resposta simples, que é baseada na tradição de fazer isso todo ano, aquilo que você aprendeu desde criança, aquilo que você faz sem pensar ou faz porque todo mundo faz. Faz porque se não o fizer vai parecer estranho ou vai te isolar de alguma forma daquele grupo. Ou simplesmente faz porque se sente bem fazendo. Deve haver centenas de motivos para fazer isso.

Eu até consigo entender esse tipo de desejo quando você está em um grupo, em uma festa e tem o contato com as pessoas. Você abraça e comemora, deseja tudo de bom à todos, muita sorte, muito amor, muita paz e renovação de esperanças de um ano melhor. Eu também acredito que isso possa até parecer falso, mas com certeza é um comportamento humano muito natural e também muito esquisito.

Mas e fazer isso numa rede virtual? Você faz uma postagem de uma imagem com uma mensagem ou mesmo um texto como estou fazendo aqui e em momentos diferentes, pessoas diferentes vão ver aquilo, vão interagir ou não, mas não estarão tendo a mesma experiência de ter o mesmo sentimento que teria ao vivo.

E nas redes, as pessoas tem centenas ou até mesmo milhares de pessoas conectadas que, numa situação real, seria desafiador ou até mesmo penoso, abraçar e desejar a mesma coisa centenas e milhares de vezes.

Mas nós fazemos mesmo assim. Nós acreditamos numa espécie de extensão dos nossas mãos, bocas, ombros, joelho e pé. Se viajarmos um pouco mais nessa analogia de poder remoto, é como se uma cópia, um clone nosso estivesse se relacionando, através dos nossos avatares, com a pessoa que está fisicamente ali lendo a mensagem deixada na TL. Não é como um chat, em que ambos estão conectados e trocando mensagens. Num chat ou num programa de mensagem é algo parecido com um telefone e é fácil determinar que ali existem duas pessoas reais se comunicando.

Eu poderia fazer a analogia com os antigos cartões postais, mas um cartão postal não é a mesma coisa. Nós comprávamos algumas poucos e escolhíamos as pessoas mais íntimas para enviar e ainda tinha os custos do correio e ter que preparar com antecedência e tudo mais.

É realmente estranho que a gente se comunique com frases escritas e que não representam mais do que uma ideia, nada físico. Mesmo assim algumas dessas frases são capazes de emocionar as pessoas mesmo que não tenha do outro lado um ser humano, apenas caracteres codificados numa tela que pisca nuns 60 quadros por segundo dando a ilusão de papel.

Então posso pensar também que outras postagens, que não são essas de felicidades, alegria ou solidariedade e que são postagens refletindo preconceitos, ódio e outros sentimentos mesquinhos do ser humano também representam bocas gritando e punhos fechados.

Se podemos emocionar centenas ou milhares de pessoas de uma forma boa ou ruim, então deveríamos ter mais cuidado ao escrever. Será? Será que alguém que escreve um texto com suas ideias deveria ter mais cuidado ao escrever? Será que é possível acorrentarmos as mentes das pessoas e obrigá-las a se comportar para que não machuquem outras pessoas? Será que um mundo com regras nesse nível seria um lugar bom para viver? Bom pra quem?

São muitas perguntas, mas sem resposta. Talvez isso seja o que os filósofos chamam de ética. É o que devemos ou não fazer, mesmo querendo e podendo. Eu também não sei a resposta, mas sei que perguntar é mais fácil que responder e também que cada um vai ter uma visão diferente disso tudo. Seria realmente interessante e o meu desejo que nós pudéssemos evoluir de forma a ter vários pensamentos diferentes com poucos conflitos.

E esse próximo ano como será? Ninguém sabe, mas uma certeza é que ele não será como esse que passou e nós seremos diferentes. Então eu desejo tudo de bom porque assim, tendo tudo de bom, se você se tornar uma pessoa pior no próximo ano, não será azar, será vacilo.