Notas sobre meu possível novo amor

Tire os sapatos antes de entrar.
Te amo com todos os humores, cores, signos e teorias.

Confesso, gosto de eternizar os donos de todos os meus sentimentos e sensações, mesmo que indefinidos. Já fiz notas ao dona da minha primeira paixão, cartas à quem primeiro me matou e hoje eu preciso falar sobre o teu amor.

Ao te escrever, consequentemente entendi que é amor, por nunca saber te explicar. Eu precisei tirar noites para entender que embora confuso, amar continua sendo ato de coragem. Não me assombrava te fazer de abrigo, mesmo que gritasse perigo eu gostava de me fazer em teu afago. Não me aborrecia quando mais me parecia gostar de me fazer travessia para passar.

Não esperei que meu amor nascesse de você, eu esperava quem me completasse, mas entendi que mesmo rodeada de pessoas a solidão vem de dentro. Amei te amar quando curti a comunhão de nossa escuridão. O meu batimento cardíaco compactua com o teu e dele sai o melhor hit.

Te amar vai além desse meu plano astral, se mostra o paradoxo da minha vida e me coloca por entender que até nossas células torcem por nossa colisão. Me põe a pensar que mesmo eu sendo vermelho e tu azul, sempre amamos o lilás.

-pg