A FALTA QUE VOCÊ FAZ

Chegou a hora de te dizer a falta que você faz. O espaço que você deixou, nunca foi preenchido. E nunca será. O seu rosto lindo, nunca será esquecido. O seu toque, a sua boca, o seu cabelo, a sua roupa, o seu cheiro. Chegou a hora de te dizer a falta que você faz, meu amor.

Meus olhos, sem me avisarem, enchem de lágrimas de vez em quando. O meu coração, sem ao menos me dizer, aperta tão forte que eu chego a preferir sumir a sentir essa dor. Se alguém fala o seu nome, a minha perna treme, o meu pelo se arrepia, o meu coração aperta e o meu olhar chora.

Basta uma palavra para acabar com o meu dia, para o meu pensamento esquecer tudo que eu estava fazendo e focar em apenas uma coisa: você.

A mais importante da minha vida, a que se foi e está fazendo uma falta imensurável. A menina dos meus sonhos, a menina que eu desejo, que eu preciso. A menina que, simplesmente, eu amo.

Você não imagina a falta que me faz. A falta que faz o seu toque quando eu preciso, o seu sorriso quando eu conto uma piada, o seu cafuné enquanto o seriado passa na TV, o seu abraço quando eu peço, as suas palavras, sábias, quando eu estou triste. A falta que me faz o seu amor, o seu desejo, o seu beijo. A falta que me faz o seu corpo encostado no meu. A sua risada sem motivo, o seu ciúme bobo, o seu olhar de brava. A falta que me faz a sua pele, os seus olhos olhando pros meus. A falta que me faz a sua voz. A sua voz me chamando, a sua voz fazendo aquela voz que só a gente conhece. A sua voz dizendo que me ama. A falta que me faz o seu olhar ingênuo, seu rosto lindo, sua sabedoria ímpar e sua mão delicada.

A falta que faz o conjunto de coisas que faz com que você seja você e mais ninguém. E faz com que eu te deseje e não deseje ninguém mais.

A falta que faz o último “boa noite”, que me fazia dormir como um anjo, e o primeiro “bom dia” que você sabia me dar e que fazia do meu dia algo muito melhor. A falta que faz sua ligação antes de dormir, aquela que a gente ficava por horas conversando. A falta que faz a sua voz ao meu ouvido, me dizendo exatamente as palavras que eu preciso ouvir.

Que falta que você me faz. E eu não estou falando em saudade do passado, estou falando em vontade de voltar, de trazer o passado para o presente. Estou falando de um vazio sem pretenção de ser preenchido. Estou falando de falta, do rombo que você causou em mim, de dor, de vontade de sumir. Estou falando de você, de mim, de nós. Estou falando da vida que não aceita buracos. Da despedida sem fim. Da paixão encantadora. Do amor eterno. Do reencontro, esperado, mas não sei se provável.

Estou falando que você faz falta. Uma falta gigante. Uma falta que, hoje, eu ainda não entendi.

Estou falando que eu sinto a sua falta. Que eu preciso da sua presença. Que eu faria de tudo (e mais um pouco) para te ter de volta. E olha que eu nem sei se você ainda é realmente você, ou se mudou nesse tempo todo.

Mas não importa:

que saudades de você.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.