pexels

Perfume de gerânio: para mulheres que acreditam no amor.

Incontrolável sou, me deixem assim, pois vim ao mundo para dançar, parir minha criatividade, meu cheiro de amor no ar. Me deixem! Parem de me dizer que é difícil, que gratidão não existe, que amor não existe, por favor, me deixem! Eu quero acreditar, eu preciso acreditar.

Deixem eu abrir meu coração, dar bom dia a todos os irmãos, esperar pelo amor e vivê-lo, devorá-lo, deixem eu gargalhar alto. Não me falem que eu não posso, que amor não existe, que gratidão é bobeira, não me digam que não posso amar, ser feliz, que isso não é para mim, pois estou aqui de coração aberto, mesmo com todas as dores. Estou aqui em pé, mesmo com o exalar de memórias e histórias sofridas de minha família, sigo, sorrindo, falando aos quatro vento “gratidão”, pois sou amor e decidi que vou amar, decidi que serei amada, que abrirei os corações fechados com o meu sorriso largo, que abrirei meu próprio coração, abrirei meu útero, meus ovários, meus seios, chega de trancá-los em masmorras de crenças, de medos, de submissões. Não quero mais!

Eu quero mesmo é carinho, afago, respeito. Meus hormônios não andam mal, nem desequilibrados. Esse cisto no meu peito esquerdo…ele não existe! O que existe é a ausência de amor e vim até aqui, nessa Terra, para ser amor, inalar amor, comer amor, ser amada! Pelo fundo da minha alma, eu quero ser amada! Eu sou a Dona Gerânia e acredito no amor e no respeito por essa minha alma de mulher. Mundo, sociedade, pessoas: me amem, amem as mulheres porque elas dão vida e amam tudo que é vivo. Que meu cheiro doce, frutado, florido se espalhe pelo mundo contando a todas as sementes, espalhando ao Universo, que vim aqui para amar e ser amada, meu coração está aberto e meu corpo de mulher está pronto para ser idolatrado. Reverenciada seja eu!

Dona Gerânia é conhecida no mundo da perfumaria com um nome muito feio “a prima pobre da rosa”, pois seu cheiro, dizem, se assemelha com o da rosa. O cheiro da gerânia não é tão doce como o da rosa, tem uma leve pitada de risada no ar. Emocionalmente, seu perfume abraça o corpo feminino, da colo e carinho. Já dona rosa é uma médica destemida que retira os espinhos de nosso coração sem piedade e ainda diz “deixa doer que é para curar”. Já retirou seus espinhos? Então, venha comigo, amiga, vamos nos permitir que amem o nosso feminino, vamos escolher quem nos reverencie, sinta orgulho, nos assuma e nos ame de verdade!

Na imagem, uma moça cheira uma rosa e logo logo ela poderá embarcar no perfume do amor próprio e da aceitação do amor.

Palmira Margarida é historiadora especialista em cheiros e emoções e ama pesquisar sobre aromas do corpo. É sinesteta e come coisas só porque são amarelas, inclusive não-comestíveis. Ama viajar e captar os aromas das trilhas e das histórias dos lugares por onde passa.
Instagram @palmiramargaridabr