PA-LAVRA

Tarot Deck — Shadowscapes
Eu me perdi em cada palavra, cada palavra-flagelo, cada palavra-corte. PA-LAVRA, pá que desenterra e lavra. Cada abismo d’alma. Eu me torno o que eu escrevo ou eu escrevo o que sinto? É preciso colocar tudo nos potinhos corretos e nomear. Mas, perdi o nome, e sou desnomeada… A metamorfose enfim se desfez? A Phoenix cansou de ressurgir das cinzas e decidiu aceitar a incapacidade das cores? Não há nada para os potinhos, tudo está profundamente vazio, pois tudo que tinha de ser dito foi dito. E toda palavra-flagelo em um surto de antropofagia se aniquilou ao menor suspiro-vívido;e agora apenas se debatem em meio a vitalidade descorada das cinzas.