eu não te amei
naquele dia que você estava por cima e que eu não conseguia parar de olhar pro piercing na sua boca, eu não te amei
no dia que você disse que aquela frase na folha do meu caderno era pra mim, eu não te amei
quando a gente ficou até tarde conversando falando sobre o que gostávamos um no outro, você do meu sorriso e eu do seu pé e do jeito que você surpreende. eu não te amei
ao saber de você que eu era importante na sua vida, eu não te amei
eu ouvi todas as músicas que você gostava e não, eu não te amei 
você sussurrou no meu ouvido que eu te deixaria louco e eu não amei você
eu te abracei, te beijei os olhos, a nuca, a boca, o nariz como se pudéssemos ficar ali pra sempre, mas meu deus, eu não te amei 
meus dedos passearam por cada centímetro do seu braço, eu decorei todas as suas pintas e ainda assim eu não te amei 
desesperadamente eu disse que estava com saudade e queria que você viesse pra mim e eu sentia tudo aquilo, mas não, eu não te amei
eu falei sobre as minhas músicas favoritas, eu compartilhei alguns problemas com você, eu queria estar com você, ligar pra você, dormir com você, mas isso ainda não era amar você 
eu senti a dor do que é ver a gente acabar, e não, eu-não-te-amei 
eu chorei uma noite inteira pelo que a gente ainda não tinha sido e eu sei que eu não te amei 
eu me sufoquei com tudo o que eu sentia e não podia dizer porque eu não queria prejudicar você, porque eu achava que eu amava você, mas na verdade eu amava o que a gente era
mas amar uma pessoa é amar uma pessoa
não as mensagens, nem os textos de amor, nem as trocas de olhares, nem o beijo, o sexo
amar uma pessoa é amar uma pessoa mesmo quando ela vai embora
e hoje eu amo você 
eu amo porque eu seria incapaz de te magoar 
eu amo porque se você quiser que eu vá embora, eu vou
eu amo porque eu quero que você sinta e saiba um dia que o amor é exatamente isso, livre
eu amo porque você me ensinou muita coisa e desamor seria guardar só o nosso fim 
eu amo você com todos os seus defeitos 
eu amo você sem mim 
eu amo você 
agora

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.