Resenha: O segredo do meu marido

Você já pensou em como sua vida seria se você tivesse tomado decisões diferentes em algum momento? Já pensou que pequenas decisões podem mudar o curso da sua história? Já pensou que pior ainda, decisões de terceiros podem influenciar diretamente no rumo que sua vida vai tomar?

O famoso “e se?” nos persegue constantemente.

Sempre que termino um livro faço aquele exercício infantil de pensar na moral da história, e as questões acima seriam a maior moral de “O Segredo do Meu Marido”.

Comecei a ler o livro só para passar o tempo e fiquei bem surpresa com a narrativa, o livro é um suspense leve com boas pitadas de drama em que histórias se interligam por um único fato.

O livro me prendeu do começo ao fim, enquanto lia ia especulando o que podia acontecer e qual seria o tal segredo mas não esperei muito para descobrir, ao contrário do que muitos autores fazem, Liane Moriarty não deixou o segredo pro final do livro, ela revela nos primeiros capítulos qual é o segredo, mas não pensem que esse é o ápice do livro.

Seguimos na história tentando descobrir como os personagens estão lidando com as muitas reviravoltas que suas vidas tomaram mas a maior revelação do livro só é feita nas ultimas páginas (ultimas de verdade) e não são nada obvias.

O Segredo do Meu Marido nos apresenta três mulheres e três destinados extremamente interligados.

Cecilia Fitzpatrick é a dona de casa americana perfeita. Casada com o belo John-Paul, tem três filhas, uma agenda social repleta de atividades e é um sucesso nas vendas de Tupperware. Para quem está de fora, sua vida é perfeita e admirável. Sem querer ela encontra no sótão um envelope com seu nome e uma anotação dizendo que só deve ser aberto após a morte de seu marido, o próprio autor da carta.

Cecilia resiste a curiosidade de descobrir o que ele escreveu em respeito à vontade do marido — pelo menos até ele agir de forma estranha e despertar mil suspeitas em sua cabeça. Só que o conteúdo da carta está muito longe de ser qualquer coisa que ela pudesse imaginar. Dividindo um segredo obscuro que pode mudar (e destruir) a vida de outras pessoas, o casal passa a viver no limite, tentando equilibrar-se nas três filhas para não desmoronar.

Tess é uma mulher realizada, casada, bem sucedida e com um filho pequeno, Liam. Sócia do marido, o amável Will e da prima/melhor amiga (e ex-gordinha), ela é pega completamente de surpresa com uma notícia chocante. De uma hora pra outra ela se vê voando de Melbourne para Sydney — sua cidade natal, deixando pra trás sua casa e levando seu filho. Morando com mãe Tess acaba reencontrando pessoas de seu passado, de uma época que ela acreditava ter ficado para trás.

Rachel é viúva, mãe e avó. Uma mulher em eterno luto que teve a filha adolescente assassinada. Avó do pequeno Jacob, sente-se completamente devastada quando o filho decide que vai se mudar para Nova York, levando Jacob, por conta do emprego da esposa.

O livro é narrado em terceira pessoa e demora a te mostrar a ligação entre as personagens. Ao mesmo tempo, ficamos tão envolvidos com os personagens que é difícil largar até chegar ao final.

Liane Moriarty, de alguma forma, conseguiu unir todas essas mulheres, criando uma história instigante e plausível. A surpresa, em um momento do livro, deixa de ser o conteúdo da carta e passa a ser as consequências dela. O livro não é nada demais mas a história é instigante, os personagens são criveis, bem construídos e a narrativa prende o leitor.

Para quem gosta de suspense com boas doses dramáticas, O Segredo do Meu Marido é uma boa pedida.


Originally published at paramundi.com.