A espiritualidade liberta nossa consciência

Espiritualidade é sinônimo de elevação, transcendência…

Ela pode ou não estar ligada a uma vivência religiosa.

Como muito bem se expressou Pierre Teilhard de Chardin, teólogo francês que construiu uma visão integradora entre ciência e teologia:

“Não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual, somos seres espirituais vivendo uma experiência humana”

. . .

Ao longo dos séculos, muitas religiões foram criadas em veneração a seres humanos que mais pareciam anjos, vivendo em integridade, harmonia, equilíbrio, simplicidade, inspirados por Deus e considerados inspiradores para os demais seres, agindo além do egoísmo, sendo a paz, a felicidade, a realização, praticando o respeito, a compaixão e compartilhando suas percepções com quem quisesse ouvir.

Alguns seguidores desses mestres de si mesmos tentaram compilar em Livros Sagrados o que acharam ter compreendido do que foi experienciado, sentido, feito, dito… E raramente os próprios mestres do amor incondicional escreveram seus próprios livros. Na grande maioria dos casos, cada texto sagrado foi escrito muitos anos depois, após as histórias terem sido contadas como num telefone sem fio. Em tantas delas a mensagem original foi ainda modificada para ser melhor aceita pelas pessoas e instituições.

Chegou-se ao ponto de achar normal matar por “amor” (?) aos dogmas religiosos e à competição para saber qual religião é a melhor e mais certa… 
O impressionante é que isso acontece ainda nos dias de hoje com o terrorismo de homens-bomba a quem a promessa do paraíso é feita, barganhando suas ações fundamentalistas débeis e mal avaliadas.

A “Santa” Inquisição da Igreja Católica queimou supostas bruxas e rebeldes durante a Idade Média
Charge ironiza o absurdo do Terrorismo, barganhando ações débeis por falsas promessas

No meio do caminho para o “Reino dos Céus” apareceram, dentro e fora das religiões, aproveitadores de todos os tipos, intermediários bons de lábia e de retórica, cobrando altos pedágios, visando principalmente o lucro com as pessoas mais ignorantes, para levar algum conforto, oferecendo a dependência de muletas para quem só ansiava por mais paz e realização.

Tais intermediários entre Deus e os homens, a cada dia participam mais e mais da vida política, com o propósito de aumentar sua influência e poder sobre os demais e ainda arrebanhar mais fiéis seguidores conservadores, criando inúmeras propostas de lei intolerantes, inconstitucionais e contraditórias, gerando ainda mais separações e julgamentos, tão distantes do amor ao próximo que tanto dizem pregar em seus templos.

Tudo o que rejeitamos revela mais sobre nós mesmos que sobre os “outros”. Afinal, existe algum outro se tudo é uma só energia da consciência?

O deputado e pastor Marcos Feliciano na peça 
“Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo”, por Freud.

Tantos outros que se dizem ser ultra-espirituais, vivendo além dos dogmas das doutrinas religiosas e num estado de iluminação, apenas tem oferecido uma verdade que venda numa “nova” roupagem da moda, quase sempre oferecendo curas e mudanças instantâneas (verdadeiros saltos quânticos! Uau!) ou ainda muletas espirituais para que o ego humano se apegue e cause dependência desses próprios supostos mestres, de algum amuleto da sorte ou de substâncias para elevar a vibração. O comediante JP Sears arranca boas gargalhadas com esse vídeo sobre “Como se tornar ultra espiritual”:

Humorista brinca com o que é ser ultra espiritualizado

Nada como o humor para revelar nossas contradições e ainda nos relaxar num sorriso. Perceber essas incoerências é o primeiro passo para que mudemos nossos pensamentos e atitudes decorrentes deles, e com isso criar uma nova realidade mais simples e próxima do equilíbrio incondicional:

A religião alimenta a mente. 
A espiritualidade alimenta a alma.
A religião aprisiona, segrega.
A espiritualidade liberta e une as almas a um único princípio: O Amor Divino.
A religião não é apenas uma, são centenas. 
A espiritualidade é apenas uma.
A religião é para os que dormem, 
A espiritualidade é para os que estão despertos.
A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados. 
A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.
A religião tem um conjunto de regras dogmáticas. 
A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.
A religião ameaça e amedronta. 
A espiritualidade lhe dá Paz Interior.
A religião fala de pecado e culpa. 
A espiritualidade lhe diz: “Arrependa e aprenda com os erros”.
A religião reprime tudo, te faz falso. 
A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro.
A religião não é Deus. 
A espiritualidade é tudo e, portanto: é Deus.
A religião inventa. 
A espiritualidade descobre.
A religião não indaga e nem questiona. 
A espiritualidade questiona tudo até dissolver a dúvida.
A religião é humana, é uma organização com regras. 
A espiritualidade é Divina, sem regras.
A religião é causa de divisão. 
A espiritualidade é causa de União.
A religião lhe busca para que acredite. 
A espiritualidade você tem que buscá-la.
A religião segue os preceitos de um livro sagrado. 
A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.
A religião se alimenta do medo. 
A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.
A religião faz viver no pensamento. A espiritualidade faz Viver na Consciência.
A religião se ocupa com fazer. A espiritualidade se ocupa com Ser.
A religião alimenta o ego. A espiritualidade nos faz Transcender.
A religião nos faz renunciar ao mundo. 
A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.
A religião é adoração. A espiritualidade é Meditação.
A religião sonha com a glória e com o paraíso. 
A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.
A religião vive no passado e no futuro. 
A espiritualidade vive somente no presente, no agora.
A religião enclausura nossa memória. 
A espiritualidade liberta nossa consciência.
A religião crê na vida eterna. A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.
A religião promete para depois da morte. 
A espiritualidade é Encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.

A essência de cada uma das mensagens originais dos mestres de si mesmos, que iluminaram o mundo com o equilíbrio divino, é a mesma: a percepção inspirada de quem realmente somos além das ilusões das crenças limitantes, incluindo aí o medo e a rejeição. Essa expansão de consciência, de conhecimento da Realidade da existência, que permeia tudo e tem como fruto a prática do amor que somos é a verdadeira espiritualidade.

O fundamental é compreender que ser espiritual é praticar com quem for gentileza, respeito, paciência, humildade, perdão, compaixão, honestidade e ser responsável pelas consequências de nossos pensamentos, palavras e ações, que atraem mais do mesmo. Somos e sempre seremos criativos, quer queiramos ou não, sementes estelares, auto-expressão de uma Inteligência Criativa e Amorosa que nos presenteou com a liberdade e os frutos de cada escolha… Sem culpa, sem rótulo, sem erro eternizado, sem pecado, apenas num belo processo de contínuo aprendizado.

Leo Fontes
Um ser simples que se conecta à Fonte do Ser 
em busca de clareza, que o tem libertado das ilusões.

Like what you read? Give Leon Fontes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.