Home sweet home (office)
Cláudia Flores
41

Adorei a analogia com a casinha da Barbie, uma ideia boa assim só poderia ter vindo de ti :)

Meu segundo estágio no jornalismo me permitia trabalhar remotamente, então fui me acostumando ao home office bem cedo. Precisava estar conectada umas 3 horas durante a manhã e depois estava por minha conta e risco. Eu tinha minhas responsabilidades e em algum momento do dia precisava entregar os textos.

Depois na vida “adulta” comecei a trabalhar fixo em uma redação durante parte do dia e como frila no resto do tempo, e lá tava o home office outra vez.

Em 2015 tive minha primeira experiência como 100% autônoma, dividindo meu trabalho entre empresas, Starbucks e casa, e foi difícil me adaptar no início justamente por isso, parece que toda hora é hora de fazer aquela faxina ou botar a roupa pra lavar.

Hoje eu consigo levar numa boa — não troco minha soneca à tarde por nada — mas levei um tempo até entender que DISCIPLINA é tudo na vida. Se eu boto a bunda na cadeira pra trabalhar eu vou trabalhar! Só atendo telefone em caso de urgência (tipo mais trabalho vindo haha). Tô cansada? Eu paro pra ver uns vídeos no Youtubel, depois volto e termino. Mas tem que ter foco e um gerenciador de projetos (eu uso o TodoIst)

Beijos :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.