Amor & Abandono

Eu tenho uma relação gulo-afetiva com Bisnaguinhas Seven Boys.

Elas fizeram parte da minha infância e seguiram comigo pela vida. Eram solução para o café da manhã e diversas outras situações. Na época em que não existia essa obrigação de se levar lanchinhos de chia com goji berry e cobertura de quinoa para todo lado, e se eu soubesse que ficaria horas sem comer, bisnaguinhas. Puras. Incríveis.

Para madrugadas de insônia, bisnaguinhas. Para esses voos mixos em que nos castigam com barrinha de cereais, bisnaguinhas. São mixas mas me deixam feliz. Para longas e tediosas viagens de carro, bisnaguinhas.

Muitas vezes eu nem comia, mas ter duas bisnaguinhas num ziploc ao alcance das mãos sempre me dava um conforto enorme. E segurança. E ponto. Não discuta. Não julgue. Não questione.

E para mim, sempre serão Bisnaguinhas Seven Boys. Em algum momento passaram a ser chamadas apenas pelo nome do fabricante, Panco. Demorei anos para perceber. Aquelas bolas coloridas da embalagem já decodificavam os sete garotos para mim. E nunca aceitei a mudança. Seven Boys é muito mais divertido, lúdico, chamo e sempre vou chamá-las assim.

Em algum café da manhã dessa coleção de finais de ano que já vivenciei, percebi que a embalagem trazia uma mensagem de Natal do Seu Panco, o dono da empresa. Ele agradecia seus consumidores pela fidelidade e transmitia votos de paz e prosperidade. Era um texto bem simplório mas simpático. Eu me senti absolutamente homenageada por aquelas palavras. Seu Panco falava comigo, sua séquita desde a primeira infância.

Mas os anos foram passando e o metabolismo foi cansando. E eu precisei me desapegar de algumas coisas. E risquei as bisnaguinhas da minha vida. Foi uma ruptura brusca e dolorida. Durante meses eu evitava qualquer corredor. de supermercado em que elas pudessem estar. Encontros com paixões mal curadas geram recaídas.

E hoje, comendo um pãozinho macio que comprei para o meu filho, veio essa nostalgia. Acabo de me dar conta de que perdi a mensagem do Seu Panco neste último Natal.

Estava na dieta Atkins. E também no Natal anterior. Estava na Dukan. E no antepenúltimo. Dieta da Lua, de Marte ou Plutão. Não me lembro mais.

Como andará Seu Panco? Será que está bem? Decidi pesquisar. Descobri que vendeu sua fábrica para uma multinacional. Para aquela que copiava suas bisnaguinhas e não conseguia acertar. Nunca foram macias como as originais. A receita da bisnaguinha da Panco é como a fórmula da Coca-Cola, ninguém conseguiu fazer igual.

Já tinha planejado cabular a dieta no próximo Natal. Passar dezembro inteiro comendo bisnaguinha no café da manhã, almoço e jantar, sempre lendo a mensagem do Seu Panco. Com cream cheese, com Nutella, com Tabasco, sei lá. Desisti. Não vai ter graça, não haverá mais aquela mensagem singela.

Acabou. Fim de uma era.

Triste, tristíssimo. Bom, já estava na hora de me atualizar.

Acho que vou me render à tapioca, então. Ou chips de batata doce. Minha cintura agradece.


Se gostou do texto, por favor clique no ❤️ aqui embaixo! Assim ele será encontrado por mais pessoas. Obrigada!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Patricia Chaccur’s story.