(re) Ler.

Quem gosta de ler sabe que existe um hábito, ritual, “coisa” (ou qualquer nome que você queira dar) libertador, renovador e bastante útil, que deveria ser feito com mais frequência.

A releitura.

Releitura: sf (re+leitura) 1. Ato de reler. 2 Segunda leitura.

Essa é uma definição. Outra, pessoal e sentimentalista, é dizer que o ato de reler é um prazer, inspiração e respiração de uma história renascendo em si mesma e naquele que a procura.

Eu, por exemplo, adoro fazer isso. Certa vez, encontrei por acaso o livro “O Velho e o Mar”, que li pela primeira vez há muitos anos (e recomendo fortemente). Naquele momento, pensei “por que não dar outra bisbilhotada nessa história?” Ruim não seria, então foi o que fiz. E que bom que fiz.

O livro ganhou uma nova perspectiva. Entendi referências e situações que, antes, ou passaram despercebidas ou tinham uma compreensão totalmente diferente. Percebi como a importância do livro mudou de leitora para leitora — embora a pessoa em frente às páginas fosse, em essência, a mesma. Relembrei não só aqueles trechos que haviam fugido da memória, mas também o porquê de Ernest Hemingway (o autor) ser um dos meus escritores prediletos, com sua maneira de narrar, sua intensidade e seus diálogos inteligentes.

Esse é só um exemplo, uma obra que merece ser lida não só porque Hemingway é um clássico e sabe contar, de um jeito incrível, a luta e experiência de um velho pescador contra a natureza, contra si próprio e a favor daquilo que representa. Mas, se quiser partir para a releitura, não precisa ser a coletânea do escritor norte-americano, os textos de Verne ou a biografia de Virgínia Woolf. Pegue um livro qualquer na estante, seja o seu favorito ou aquele presente de natal que não fez sentido nenhum aos quinze anos de idade.

Vivencie as páginas outra vez. Releia. Pense. O que mudou na história — ou, melhor, no leitor? Que personagens, diálogos e sentimentos surgirão depois de meses, anos ou décadas longe daquelas palavras? A releitura é um favor pessoal, uma forma de estimular sua própria memória e renovar olhares, conhecimentos e experiências com cada livro, filme, música e sonho que a mente humana é capaz de reviver. Conheça o novo, mas sempre abra o coração para entender melhor tudo o que já vivenciou. Talvez o hábito da releitura traga novas inspirações, novas vontades, transformações — e instigue, até, uma releitura em você.