Sobre romantizarem transtornos mentais

Minha cara e meu jeito de menininha divertida não deixam transparecer o inferno que é sair na rua em alguns dias. Lidar com essa merda de síndrome do pânico e ansiedade é quase que insuportável e não tem nada de bonito e poético em passar mal na rua ou em casa sem motivo, tem se tornado cada vez mais difícil me controlar quando alguma coisa mexe com os meus gatilhos. Gatilhos, sabe? Uma palavrinha que define muito bem onde fica o limite de alguém.

Depois de ter uma tarde onde eu precisei me trancar no banheiro da estação de metrô porque tudo começou a ficar confuso demais, meu coração disparou sem razão, minha cabeça começou a processar as coisas rápido demais, dando a impressão de que tinha algo extremamente ruim pronto pra acontecer, a última coisa que eu é chegar em casa, entrar no Facebook e ver pessoas achando bonito e aplaudindo um transtorno mental, romantizando e fazendo desse inferno todo algo bonito, algo que só pessoas especiais tem. Diz pra mim, em qual mundo vocês vivem?

Ninguém quer depressão ou ansiedade, ninguém! De onde tiraram que essas coisas tornam alguém mais legal? Mais sensível? Mais bonitinho? Você não quer ter nenhuma dessas doenças, você não quer. Você é só um adolescente ou um adultinho de bosta que acha que depressão e ansiedade são lindos porque geram músicas e textos bonitos, porque pessoas doentes são tão adoráveis, vulneráveis, meu Deus, como é poético ter a cabeça fodida e mal conseguir comer ou sair na rua!

Ficar sem sair do quarto? Travar durante o trabalho ou a aula? Ser invadido por uma sensação de medo extremo a qualquer momento? Perder completamente a fome? Sentir o corpo pesando e doendo tanto, mas tanto, que a impressão é de que você vai desmaiar? Ver todo o seu esforço perdendo o sentido de um minuto pro outro, sem mais nem menos? Questionar sua existência e se sentir um pedaço de lixo fazendo hora extra por aqui? Querer ficar em casa porque os sons e as luzes do lado de fora irritam e bagunçam todos os seus sentidos? Ah, essas pessoas…Essas pessoas devem ser tão amáveis, olha como elas são tristes, bonitas e sensíveis. É bonito ser triste! Vamos fazer desenhos fofos inspirando mais pessoas a serem assim: tristes.

E o suicídio? Que tal tornar o suicídio um ato heroico, coisa de filme gringo? Aquela jovem transtornada, porém linda, que se mata se jogando da janela. Você por acaso já viu a foto de uma pessoa que se suicidou depois de se jogar do vigésimo andar de um prédio? Garanto que de poético e bonito não tem nada, é só um amontoado de carne, sangue e cérebro no chão. E se lotar de remédios, então? Nada mais fofo do que precisar frequentar um psiquiatra e sair de lá com uma receitinha pra um tarja preta que vai estragar o seu sono, seu humor e mudar sua personalidade por dias até começar a fazer algum efeito, se fizer!

Pelo amor de Deus, parem de romantizar essas coisas. Não falem de doenças mentais como se elas fossem uma bênção na vida de alguém, enfrentar tudo isso é difícil e todo mundo que se encontra nessa situação luta pra sair vivo todos os dias, não é fácil lidar com algo que vem e vai a hora que quer. Ajudem quem precisa, não incentivem a tristeza, por favor.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.