Você não esqueceu de nada nessas eleições?

Paula Diniz
Oct 8, 2018 · 3 min read
Só pra avisar

Então é 2018, então diversas bandeiras são levantadas, então a luta por direitos iguais das minorias toma conta, então chegam as eleições, então entramos num Fla x Flu eterno, e então perdemos a noção das coisas. O brasileiro realmente sabe pelo que anda lutando? O brasileiro quer um país melhor ou só quer levantar bandeiras específicas, sem se preocupar com a origem dos problemas?

De dois anos pra cá nós começamos a pensar em minorias, leia LGBT, negros (que na verdade não são minoria), LGBT, negros, LGBT, negros e LGBT. Acho que vocês entenderam meu ponto. Eu abro o Facebook e vejo uma série posts buscando igualdade, oportunidade, aceitação, e de fato, isso é uma luta extremamente importante, mas não é a única coisa pra se pensar na hora do voto. Eu quero saber em qual momento as pessoas vão tocar nos assuntos educação, saúde pública e segurança? As minorias precisam de aceitação, mas elas precisam de cuidados, todos nós precisamos de cuidados.

Eu? Bom, eu sou mulher, branca, classe média, estudei em faculdade particular, venho de uma família repleta de militares e se tem uma coisa que eu nunca passei, essa coisa é dificuldade, mas eu não sou cega. Eu me preocupo com a economia porque porra, eu trabalho, eu tenho gastos, eu quero coisas que me beneficiem, eu quero uma economia estável. Eu não me encaixo no grupo de pessoas que precisam do SUS, eu não preciso de ensino de qualidade nos colégios públicos, mas as pessoas precisam, mais do que aceitação, elas precisam de qualidade de vida. A busca pela aceitação acabou ofuscando a importância do básico, vocês gostem ou não. O gay favelado, o negro miserável, a criança do interior do nordeste ou do extremo de São Paulo, eles usam hospitais, eles precisam de incentivo, eles precisam da atenção do governo. E cadê as pessoas cobrando a melhoria na saúde, o aumento do salário dos professores, a falta de medicamento e equipamentos no SUS? Eu tive duas experiências em casos graves no SUS, e em hospitais públicos que ficam em áreas nobres, e foi o suficiente pra saber que o buraco é muito mais fundo do que parece. Eu sei o que eu tô falando, eu vi.

Eu vejo muita bandeira sendo levantada, mas poucas vezes lembram do abandono dos hospitais, chegar no SUS pra tomar soro é muito fácil, passar dias na fila, grávida, sem poder fazer exames nos finais de semana porque alguns médicos simplesmente somem, aí é difícil. "O SUS funciona" é o cacete, o SUS tapa buraco, são excessões os hospitais públicos que oferecem um serviço de qualidade. Então é isso, em 2018 esqueceram que minoria precisa ficar viva, segura e ter ensino de qualidade, aceitação não enche dispensa, nem coloca criança na escola.

E a segurança pública, meus amigos? A segurança pública tá fodida, bandido junto com polícia, trabalhador sendo abordado com arma na cara por causa de um celular, jovem morrendo porque matar com menos de 18 anos no Brasil é aceitável, e a punição pra isso é quase zero. Bandido ri da sua cara, passa menos de dois anos na cadeia, sai pra matar e assaltar de novo. Isso ninguém lembra, isso é lei falha, isso é falta de pulso firme. Por incrível que pareça, falta policiamento nas ruas, falta polícia bem treinada também. E isso ninguém lembrou. Busquem igualdade, busquem aceitação, mas lembrem que não pode parar aí.

Written by

Faço sites. E finjo que escrevo.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade