A sombra eterna

Antes de começar a ler tecla o play dessa música, prometo que vai fazer toda a diferença.

Ele estava deitado em sua cama, rodeado de solitude, e de lençóis há muito amarrotados… um feixe de luz vindo do canto do telhado lhe tocava o rosto, mas não incomodava… na verdade era o único contato que ele tinha com a luz do sol há tantos meses, que ele já nem sabia como era ter um sol pra iluminar a vida… o seu sol, havia saído pela porta daquela casa e não voltaria jamais…

Ninguém podia ver o quão deplorável era a luz que emanava daqueles olhos negros, agora rodeados de uma mancha já tão profunda, que poderia absorver quem ousasse fitar-lhes, dormir já não era pra ele… ele só sabia estar petrificado olhando para a porta daquele quarto… ele se lembra de quando seu olhar era de esperança a ponto de imaginar que ela voltaria, mas agora ele conseguia enxergar a sombra da imagem dela cravada na porta como uma brasa que queima vívida… mas tão lentamente que não se pode perceber.. apenas sorver a dor..

Todos os dias, ele era obrigado a conviver com a imagem dela partindo.. como um disco arranhado que toca a mesma nota entristecida até que lhe troquem, mas não havia ninguém para trocá-lo… ele irá soar pela eternidade, até que a última faísca de vida enfim apague… e aquela pobre alma enclausurada naquele olhar sombrio possa enfim descansar a paz que a vida lhe trouxe, e depois lhe tirou, com tamanha crueldade, como somente a própria vida poderia fazê-lo…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.