Se você está pensando em começar uma dieta para emagrecer, por favor, leia isso antes! | Mindful Eating

A fórmula atual das dietas restritivas para emagrecimento, seja restrição calórica ou exclusão de todo um grupo alimentar estressa seu corpo e seu cérebro, desregula seu centro de fome e saciedade, predispõe distúrbios alimentares e distúrbios de imagem corporal. As dietas restritivas, ainda, estão ligadas a pior saúde mental predispondo a depressão e a ansiedade.

A falência do sistema de emagrecimento

Veja por si mesmo a seguinte conclusão do estudo do King’s College London.

“A chance de uma pessoa obesa atingir peso corporal normal é de 1 em 210 para homens e 1 em 124 para mulheres, diminuindo para 1 em 1.290 para homens e 1 em 677 para mulheres com obesidade grave, de acordo com um estudo de registros de saúde do Reino Unido liderado por faculdade King’s College London. Os resultados, publicados no American Journal of Public Health, sugerem que os programas de controle de peso atual com foco na dieta e exercício não são eficazes na luta contra a obesidade a nível da população.”

Sim, você leu certo. A chance de uma pessoa obesa emagrecer é 1% se ela tiver obesidade graus I e II e 0,1% se ela tiver obesidade grau III.

Segundo a organização mundial de saúde 95% das pessoas que fazem dieta e conseguem emagrecer reganham todo o peso ou mais em apenas 5 anos.

GLOBAL BURDEN OF DISEASE

Essa imagem aqui acima é proveniente do estudo populacional chamado “Carga global de Doença” no qual estiveram envolvidos 1.600 pesquisadores em 120 países. Note aquele 0 presente na imagem. ZERO foi o número de países que conseguiram diminuir a obesidade ao longo dos últimos 33 anos.

Um caminhão de água fria? Sim, definitivamente. Mas por outro lado você não precisa mais carregar sozinha a culpa por não estar emagrecendo. A culpa é do sistema de emagrecimento que foi criado.

E esse texto foi escrito para que você descubra X principais motivos do porque as dietas não funcionam.

  1. Porquê estressa o corpo e o cérebro

A verdade é que seu corpo não gosta que mexam com ele.

Emagrecer é bom para a saúde, porém o processo de perder peso é um trabalho a mais que seu corpo terá que realizar. Você sabe como o emagrecimento acontece? Para onde vai a gordura quando você emagrece? Segundo uma descoberta recente publicada no British Medical Journal “a gordura acumulada é usada como fonte de energia pelo organismo. Para isso, ela é dividida em moléculas de oxigênio, hidrogênio e carbono. Quando queimado, o oxigênio se transforma em energia, liberando dois subprodutos: o dióxido de carbono e água. O CO2 é eliminado pelos pulmões, e a água excretada na urina, fezes, suor, respiração, lágrimas e outros fluidos corporais”.

Para uma pessoa perder 10kg de gordura precisa inalar 29kg de oxigênio e este processo metabólico produziria 28kg de CO2 e 11kg de água. Este estudo ainda demonstrou que 70% dos médicos, nutricionistas e personal trainers não sabiam para onde ia a gordura quando as pessoas emagreciam.

Além disso as células de gordura armazenam diversas substancias que serão lançadas na corrente sanguínea quando forem usadas como energia, grandes perdas de peso levam comumente a formação de cálculos biliares, ou mais conhecidas como pedras na vesícula e ainda, perder peso rápido é tão sério que existe o risco de hepatite gordurosa não alcoólica.

Novamente reforçando: o resultado final de uma dieta que é emagrecer é bom para a saúde, porém o processo exigirá recursos de seu corpo, ou seja, dietas estressam o corpo.

O corpo irá responder a dieta tentando mobilizar diversos recursos para barrar essa perda de peso. Imagine o seguinte: você foi contratado para gerenciar toda uma empresa, sendo que todos os recursos são seus.

Agora imagine, de um segundo para o outro, o seu contratante resolve que além de cortar seus recursos, irá mandar o triplo de trabalho para você dar conta.

Não um trabalho qualquer mas um trabalho no qual os funcionários terão que se desviar de suas tarefas habituais para fazer as novas tarefas.

Ainda as novas atribuições não são nem um pouco prazerosas e estariam mais para “resolver diversos novos pepinos” que se forem deixados para lá quebrarão a empresa. Provavelmente, você também não ia ficar feliz.

Assim, seu corpo com seu cérebro e seus genes irão começar uma operação conjunta para parar esse emagrecimento:

  • diminuindo seu metabolismo basal, assim você gastará menos energia, e o corpo freará o emagrecimento
  • aumentando sua fome e diminuindo sua saciedade, assim você comerá mais e terá mais vontade de comer alimentos de alta densidade calórica, tendo mais ânsia especialmente por doces e alimentos gordurosos
  • ativando uma cascata genética, que permanecerá ativa por cerca de dois anos, que coloca seu corpo no modo armazenamento

Por isso fazer e se manter na dieta é tão desafiador. Longe de ser por falta de força de vontade, falta de fé e falta de foco como vemos divulgados nos veículos de comunicação. Não conseguir seguir uma dieta é fisiológico.

2. Porque causam sentimento de culpa e mal estar

Quando as pessoas resolvem fazer dieta estão, em geral, estão se sentindo mal sobre a sua saúde mas estão se sentindo mal principalmente com sua aparência. O jeans que não serve, o número que não agrada na balança, o padrão normativo que não é visto no espelho.

Todas as vezes que você se veste e uma roupa não serve envia mensagens de mal estar ao cérebro. Todas as vezes que passa por um espelho ou uma superficie que você veja sua imagem faz uma critica sobre si mesma, a cada pessoa que encontra atravessa a rua por vergonha. A cada “escapada” da dieta se sente o pior e mais fracassado ser humano que existe.

Se não bastasse, os profissionais de saúde podem, se não treinados corretamente para lidar com a obesidade e o sobrepeso, aumentar o sofrimento daquele indivíduo que os procuram.

Colocando toda a carga do estado atual sobre a pessoa ou até mesmo tratar com descrédito quando o paciente queixar que não come tanto assim para justificar seu peso atual.

Sendo que na verdade, caso aquela pessoa já tenha feito muitas dietas ela pode ter presente todas as desregulações citadas acima: metabolismo basal diminuído, genes de reganho de peso ligados e fome aumentada.

Pense no seguinte cenário: seu corpo está totalmente com fome, exposto a um nível de atividade física que antes ele nunca havia feito, como o cérebro recebendo sinais de mal estar o dia todo. A conclusão do cerebro será uma só “eu estou mesmo em perigo, talvez esteja numa guerra, ou num campo de concentração” o que reforçara todos aqueles mecanismos expostos no começo dessa reflexão.

Como você inciou um tratamento fadado a falência, a chance de você se sentir mal por não estar tendo resultados satisfatórios é imensa.

Você começa a viver em uma torrente de emoções não produtivas que aumentam o seu definhar. A chance é que você passe a vida pensando que só terá direito de ser feliz após conseguir emagrecer. Podendo perder anos e momentos preciosos.

Deixando o estigma da obesidade lançar suas garras e se espalhar por toda sua vida. Fazendo você pensar que não merece ser respeitada por estar obesa, que não merece amor, que não merece ser feliz.

3. Porque focam em Controlar o que não é possível

Uma grande parte do controle dos cuidados com a saúde, essenciais para quem busca emagrecer, em maior ou menor grau, costumam estar ao alcance de todos os indivíduos.

Você pode controlar a quanto de seu dia você permanece ativo, a qualidade alimentar do que você consome, a quantidade de descanso que se permite.Você ainda pode cuidar do gerenciamento do estresse e proporcionar uma quantidade ideal de lazer para se manter bem e equilibrada emocionalmente.

O “pensamento dieta” porém se baseia em controlar o que não está ao alcance do indivíduo controlar. Você já deve ter ouvido o seguinte “quero que você emagreça 5 kg até a nossa próxima consulta”, ou seja, exatamente uma das únicas variáveis que não se encontra no seu controle é que vai medir se você seguiu ou não a tal dieta.

Não há, de maneira nenhuma, como garantir que se você seguir aquela dieta 100% você vai emagrecer o que foi “pedido”. Porque? Porque você não é uma chaleira, você não queima calorias. Porque você não é um robô e tão pouco é uma máquina exata.

4. Porque perpetuam o ciclo de restrição- compulsão
A restrição alimentar e as dietas funcionam como uma privação mental e física que aumentam o impulso para que você coma, levando a comer demais, que em geral é seguido de culpa e vergonha, aumentando o comer emocional para aliviar esses sentimentos levando ao reinício do ciclo de dieta e restrição.
Em palavras comuns, você decide que não “pode mais ficar como está”, “precisa tomar uma atitude”, “precisa criar vergonha e ter força de vontade”. Confiante você agenda o médico a nutricinionista, faz os exames, gasta o que não tem na farmácia de manipulação e no mercado comprando tudo zero, com fibras e light.

Feliz e confiante reinicia a dieta, certa que dessa vez está forte, segue várias mulheres (umas que já nasceram magras e foram sempre magras) no instagran e que contam suas histórias de sucesso (mas que ficam o dia todo na academia e só come salada e que provavelmente tem ortorexia). Dessa vez você furou que terá força, fé e foco. Logo, em certa altura, não aguenta mais a pressão que aumenta no seu estômago e no centro do seu peito por comer alguma coisa gostosa. Parece que desde que decidiu fazer dieta TODAS as oportunidades de “comer coisas boas” aparecem umas 1000 vezes ao dia. Parece que o universo CONSPIRA para que você coma. Depois de passar por um episódio mais estressante, subiu na balança e tinha perdido “só 300g depois de todo esforço” a dieta não vale a pena, você pensa que nunca vai conseguir, que tem algo errado com você. E ai…você resolve passar no mercado e começa um episódio de comer demais. Logo depois se sente muito mal, uma fracassada que nunca vai conseguir fazer nada direito na vida, alguém que não merece nada. E depois de algum tempo de ficar comendo para melhorar essa torrente de mal estar e até ter voltado a comer relativamente bem e você decide que não “pode mais ficar como está”, “precisa tomar uma atitude”, “precisa criar vergonha e ter força de vontade”. E o ciclo nunca terá fim.

5. Porque faz você engordar mais depois

Depois de uma dieta restritiva a tendência é que seu corpo tente voltar ao status pré dieta. Pois um “termostato” no cérebro é o responsável por manter você na faixa de peso definida com correta. Para prevenção o cérebro pode regular esse termostato um pouco para cima para garantir que você tenha mais peso caso ocorra uma nova temporada de restrição de nutrientes.

Não é incomum pessoas iniciarem a primeira dieta querendo emagrecer 5kg e gradativamente, vão ficando mais pesadas no fim de cada temporada de cada dieta que falhou e depois de 10 anos estão precisando emagrecer 30 kg e não 5kg.

Se ainda não está claro para você: DIETAS NÃO FUNCIONAM. Levam a uma relação deturpada com o corpo, com a comida e com você mesmo.

Caso você queira se aprofundar e se convencer de uma vez por todas a nunca mais fazer dieta sugiro que Leia “O peso das dietas” de Sophie Deran.

E ainda, para de convencer mais um pouco, assista o TED da neurocientista Sandra Aamodt abaixo, no qual “ela usa sua história pessoal para trazer uma lição importante sobre como nosso cérebro controla nosso corpo, ao explorar a ciência por trás do porquê fazer dieta não só não funciona, como também pode fazer mais mal do que bem. Ela dá dicas de como viver uma vida menos obcecada por dietas, de forma intuitiva.”

Então o que que eu faço?
PRIMEIRO PARE DE FAZER DIETA.

Depois dessa enxurrada de informações. Vamos falar sobre a solução, certo? Afinal, depois de abrirmos essa caixa de Pandora devemos te ajudar a reencontrar seu caminho de paz com o corpo e com a comida.

Ao contrário do que fazem você pensar, você pode tomar controle de sua saúde, mesmo continuando obesa ou com sobrepeso.

A primeira pergunta que passa pela cabeça DEPOIS de descobrir que as dietas não tem funcionado é: então vou largar tudo, desistir de emagrecer, ficar gorda para sempre, ignorar os conselho de todas as nutris e médicos que passei até hoje na vida?

Disparate maior não é passar a vida toda sem poder comer em paz e sem culpa, incluindo até o dia do seu aniversário e continuar obesa depois de anos de sofrimento, que de qualquer maneira não levaram a nenhum lugar?

Diversos movimentos mundiais surgiram para tentar cobrir essa lacuna da obesidade. Mas a verdade é que se alguém hoje disser que sabe exatamente o que todas as pessoas precisam fazer para emagrecer, essa pessoa está mentindo. A ciência muda, a ciência evolui. Ela não é estática e precisa se reinventar muitas vezes.

A Solução Mindfulness

Existe alguma solução? Não focar no peso. Uma maneira libertadora de fazer as pazes com seu corpo e com a balança e com você mesma.

Surpresa? Isso mesmo. O foco Não pode ser sobre perder peso.

Se trata de ganhar saúde. Encontrar maneiras de ficar bem de verdade. Resolver “tudo o que está mesmo pegando”. Se trata de cuidar VERDADEIRAMENTE de si. Aprender a nutrir seu corpo e sua alma. Aliviar seu sofriemento. Aceitar seus desafios e seu corpo. Honrar você mesma por tudo que fez até aqui e por tudo que você e seu corpo passaram até agora para fazer com que você continue.

Ficar saudável é o que ajuda no peso final de um programa de emagrecimento. É hora de encontrar o que é naturalmente saudável e sustentável para VOCÊ.

Mindful Eating é:

Comer de maneira consciente

Prestar atenção na comida

Comer quando tiver fome

Deixar de comer quando tiver satisfeita

Se reconectar com seus sinais internos de fome e saciedade

Com o Mindful Eatinf você aprende a comer, a cuidar profundamente de si, a se mover, a gerenciar o estresse e as emoções, o comer emocional e a viver o momento. Apesar da simplicidade os resultados podem ser profundos.

Você não vai mais apenas comer, você vai ser alimentada por si mesma. A abordagem com o MINDFUL EATING não é sobre tabelas e fazer dieta, é sobre como comer conscientemente e adquirir uma relação proveitosa com a comida. Aqui se cuidar é mais como uma celebração do que uma obrigação. Você vai aprender a aceitar e abraçar o seu corpo como um amigo distante, que por muito tempo ficou perdido.

CONCLUSÃO

Nada é mais libertador do que aprender a realmente cuidar de si mesmo. Não esperar mais a vida acontecer para começar a vive-la. Você é muito mais que seu corpo. Você tem uma missão e uma história que não pode, de maneira nenhuma, ser apenas sobre tentar ter um corpo padronizado.

Saiba mais sobre nosso Programa de 12 Semanas de Mindful Eating(oficial MB_EAT) criado por Jean Kristeller. Clicando aqui.

Atenção: essas não são recomendações médicas. Sempre procure seu médico, sua nutricionista, seu psicólogo e educador físico.

Referências:

http://www.bmj.com/content/349/bmj.g7257

“Low chance of obese people recovering normal body weight.” ScienceDaily. ScienceDaily, 16 July 2015. <www.sciencedaily.com/releases/2015/07/150716180913.htm>.


Originally published at drapaulateixeira.com.br/mindfuleating on April 6, 2015.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.