O que Acontece Quando Você Não Encontra Sua Missão de Vida?

O grande erro das pessoas que não vivem a sua missão de vida é ficar criando propósitos ligados às outras pessoas. Como elas não sabem o que querem, acreditam que sua missão maior é estudar, fazer uma faculdade, casar, ter filhos, ser uma boa esposa… Na verdade, tudo isso são consequências que acontecem quando uma pessoa encontra, primeiro, a sua missão de vida. O seu propósito é a sua vida, aquilo que você veio realizar.

Seus filhos, seu marido, as pessoas e os animais com os quais você convive são apenas instrumentos para ajudar na sua evolução, no seu aprendizado e no seu desenvolvimento.

Quando você começa a pegar o propósito dos outros, seu campo energético, sua aura e seus chacras se desalinham completamente, e tudo dá errado na sua vida, porque você começa a querer mandar, manipular, impor opiniões e controlar a vida dos outros.

Não temos nem controle por certas coisas da nossa própria vida, quem somos nós para tentarmos controlar a vida dos outros?

Se você é uma pessoa que sempre está querendo ajudar os outros ou oferece sua ajuda para pessoas que nem te pedem ajuda, você está sendo egoísta! Você quer que o outro faça aquilo que você gostaria que ele fizesse, e não o que ele gostaria de fazer. Ou seja, você está impedindo que ele expresse livremente suas vontades, ideias e opiniões. Isso é egoísmo! Por que costumamos agir assim? Simplesmente porque não queremos sofrer, ficar preocupado, ansioso e sentindo mal estar. Queremos o nosso próprio bem, e não pensamos se o outro vai se sentir bem fazendo aquilo que nos faz bem.

Por exemplo, se você acha que dirigir à noite na estrada é perigoso e arriscado porque você não enxerga bem ou porque você conhece alguém próximo que já se acidentou nessa situação, não fique impondo a sua opinião nos outros, no sentido de ficar tentando convencer todo mundo a não dirigir de noite. Você tem as suas dificuldades, experiências e traumas do passado, mas isso não quer dizer que todo mundo é igual a você. Você pode, claro, dar a sua opinião, seus conselhos e advertências, porém, cabe à pessoa decidir livremente o que ela deseja fazer.

Se, hoje, você ainda se sente mal quando alguém faz o que você não gosta, é você que tem que curar algo que está dentro de você. Algum pensamento, sentimento, emoção ou uma crença que limita e bloqueia a sua jornada.

Se você ficar cheio de preocupações, nervoso e ansioso com alguém, todos esses sentimentos negativos podem ser absorvidos pelo destinatário e fazer com que, realmente, ocorra aquilo que você esperava (acidentes, falhas, erros, desvios de comportamento, perdas, fracasso, etc.) E se você não entender esse processo, vai ficar achando que você tinha a razão, que você é o dono da verdade e acreditando cada vez mais nas suas crenças.

Muitas vezes, precisamos passar por certas dificuldades, perder dinheiro, ser assaltado, falhar na prova, bater o carro, para que possamos aprender, crescer e evoluir. Se não existisse nada disso nas nossas vidas, como evoluiríamos? Ainda somos muito acomodados, enquanto tudo está bem, não damos um passo adiante. Precisamos evoluir porque essa é uma das missões mais comuns e importantes do ser humano. Pais que costumam privar seus filhos de festas, viagens e outras atividades sociais, acabam bloqueando a evolução de ambos. Precisamos passar por certas situações (negativas) para descarregarmos os karmas do nosso passado, aprendermos e continuarmos no processo de evolução constante.

Se você ainda acha que você não é egoísta porque você sempre ajuda, se preocupa e pensa no bem-estar dos outros, preciso te dizer a verdade: você só pensa nos outros, porque você só pensa em si próprio! Ou seja, você quer o que todo mundo que está aqui na Terra mais quer, inclusive os animais. Você quer atenção! Você quer ser elogiado, ser querido, ser respeitado, ser adorado, ser reconhecido, ser popular… E você se torna um egoísta disfarçado de altruísta.

Você percebe que faz tudo para os outros e ninguém te ajuda, você se sente um fracassado, um injustiçado, uma vítima do mundo e você se autodestrói. Talvez isso tudo ocorra de forma inconsciente. Você não percebe que o sentimento de carência que está lá no fundo do seu ser comanda as suas decisões. O fato é que todo mundo é carente. Uns mais outros menos. O que determina a intensidade dessa carência é o nível de satisfação que você tem pela sua vida, ou seja, o quanto você está vivendo o seu propósito maior.

Se você passa 70% do seu dia fazendo uma atividade que você ama, que te dá prazer, alegria e plenitude, suas emoções tendem a ficar mais equilibradas, seu grau de satisfação pela vida aumenta, pois a energia, a motivação, a felicidade e a prosperidade são provenientes do seu próprio ser. Por outro lado, se você passa a maior parte do dia fazendo um trabalho que odeia, vive infeliz, reclamando da vida, culpando o chefe, o governo, os políticos, a presidente, ou seja, você fica vibrando um monte de pensamentos e sentimentos negativos, você se sente abandonado, solitário e carente de coisas boas.

E aí o que acontece?

Quando você chega no conforto da sua casa, a primeira coisa que você faz é ir atrás daquilo que te dá intenso prazer — comidas, televisão, bebidas, cigarro, jogos, novelas, compras, etc.

E o que acontece quando você fica privado de algo por muito tempo?

Você acaba exagerando — comendo demais, fumando demais, bebendo demais… até suprir toda aquela carência que o seu corpo pede. Entendendo esse processo, não é de se esperar que você não consegue manter sua dieta, parar de fumar, parar de beber, parar de comprar coisas que nem precisa… E após um dia inteiro de insatisfação e infelicidade no trabalho, quem tem ânimo e disposição para fazer mais uma atividade que poucas pessoas curtem? Exercício físico.

Só existe uma maneira de mudar tudo isso — encontrar a missão da sua vida! É simples? Sim. É fácil? Não será fácil, pois você terá que fazer muitas mudanças no seu estilo de vida atual, novos hábitos, novos paradigmas, substituir as crenças limitantes, se autodesenvolver, acreditar no seu potencial, controlar seus pensamentos, enfrentar seus maiores medos, eliminar a procrastinação, curar suas emoções inferiores.

Tudo isso é trabalhoso, desafiador e demorado, mas quando você decidir mudar a sua vida de vez, observar as transformações, as superações, enxergar o quanto você é capaz de ser, fazer e ter tudo o que quiser nessa vida, você irá olhar para tudo o que você superou e enxergar o que ainda de bom te espera no futuro, concluirá que valeu muito a pena!

E você? Já encontrou e realiza a sua missão de vida? Compartilhe suas visões, insights e ideias abaixo! Sua opinião é muito importante para mim!

Um forte abraço,

Paula Teshima

www.caminhosdailuminacao.com.br