Banheiro Seco Acoplável - Protótipo 3

Transforma a sua privada comum em um banheiro seco. Protótipo 3.

Instructables (english version): https://www.instructables.com/id/Open-Source-Dry-Toilet-Banheiro-Seco-Open-Source-3/

Histórico: Este protótipo foi feito no contexto do projeto Saneamento Sustentável (S+), apoiado pela incubadora Yunus Negócios Sociais Brasil (1º ciclo), em São Paulo. Também fizeram parte do coletivo Thais Costa, Cecília Rodrigues e Ilana Goldsmid.

Atenção! É pré-requisito ter conhecimentos sobre técnicas de compostagem antes de construir/utilizar os protótipos aqui apresentados.

Características: UDDT (Urine-Diverting Dry Toilet: banheiro seco com separação de urina); uso de tampa separadora Separett® Rescue (substituível por outros modelos/fabricantes); urina vai pra rede através de um sifão feito com conduíte; mictório avulso (opcional).

Desenho esquemático:

Vantagens: Utiliza o espaço existente da privada de louça. Eliminação da necessidade de tratar/armazenar a urina. Estrutura mais simples, maior facilidade de manutenção. Uso mínimo de água, apenas para enxágue.

Desvantagens: Não possibilita o tratamento da urina, mas nada impede que ela seja desviada para um recipiente externo ao lado da estrutura, ou infiltrada no solo em local com plantas apropriadas.

Observação 1: Inicialmente foi retirada a tampa da privada original, já que a estrutura era maior. No final do processo (vide última foto) foi reduzido o tamanho da caixa de modo a não ser mais necessário remover a tampa da privada de louça.

Observação 2: O mictório avulso nada mais é do que uma vasilha de aproximadamente 500ml, com abertura larga. Após o uso, despeja-se a urina no funil, e em seguida a água utilizada para limpar a vasilha.

Observação 3: O uso de saco plástico biodegradável para forrar o balde é opcional.

Observação 4: O pedaço de balão na ponta do conduíte serve apenas para dar mais firmeza/atrito no encaixe das peças.

Observação 5: As placas utilizadas são de feitas de material reciclado, conhecidas por Ecotop® de 6mm, porém sugiro o uso de compensado de madeira (1cm de espessura), uma vez que o Ecotop® gera resíduos plásticos, tanto de serragem quanto dos retalhos que sobram. Para esse material ser realmente sustentável, os seus resíduos devem ser reenviados para a fábrica para serem utilizados na produção de novas placas.

Fotos:

Like what you read? Give Paulo Henrique a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.