Pequeno Segredo

Dirigido por David Schurmann, o filme Pequeno Segredo relata a história da pequena Kat, filha de um neozelandês com uma brasileira do Pará. Kat foi adotada pelo casal Vilfredo e Heloísa Schurmann, conhecidos no Brasil por serem velejadores que conheceram o mundo velejando. Suas aventuras chegaram até mim através de várias reportagens do programa Fantástico da Rede Globo, o show da vida. Não sei porque sempre achei que a filha adotiva do casal era uma menina adotada de uma tribo, talvez tenha sido uma ilusão criada por minha mente ou mesmo a forma com que a mídia abordou essa adoção a fim de proteger o real motivo pelo qual foi adotada nos anos 90 do século passado.

Um filme sensível, que opõe de forma delicada as realidades de duas culturas e o interessante é perceber como somos, ao menos fui, envolvidos por questões do preconceito, seja por um lado neozelandês através do prisma da personagem Bárbara, mãe de Robert ou então o nosso prisma tupiniquim quando também, inconscientemente tratamos Bárbara com alguém ignorante a ponto de acharmos que pudesse tentar matar o próprio marido. David Schurmann foi sensacional ao manipular cenas que conduziram o filme para o ponto central do conflito que desencadeou na bela história da família Schurmann.

Um filme e tanto, recomendo. Consegue manter nossa atenção durante toda a fita. Saí do cinema muito satisfeito e com a sensação de quero mais David Schurmann.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.