Timidez é Coca-Cola

Pra mim a timidez é como refrigerante.

Dentro da garrafa, a coca parece uma bebida comum. Pode estar quente ou gelada, mas está lá, parada, quietinha na garrafa. A timidez também está lá, escondida dentro de um tímido com um rótulo colorido.

Na hora de servir num copo lagoinha, a coca tem que sair da garrafa do jeito certo, no ritmo certo. Não pode ser rápido demais, não pode ser de qualquer jeito, senão vai subindo, subindo, até derramar.

A timidez é um copo de coca. Pode estar quente ou gelada. Alguém pode ter chacoalhado tanto a garrafa que pode explodir na hora de abrir. Quando vaza do copo, o tímido derrama a sua calma, o seu medo, o seu descontrole. Quando a espuma entorna, as palavras saem erradas, estranhas. Ou nem saem!

Quando joga de uma vez no copo, a espuma da timidez sobe rápido e, se coloca o dedo na hora certa, pode até ser que não entorne. É nessas horas que o tímido comemora: "Ufa!". Às vezes deixa derramar um pouquinho mas nem suja muito.

Tem coisa que faz o refrigerante subir mais rápido: a temperatura, o jeito de virar a garrafa ou a força pra servir. A timidez sobe mais rápido se tiver pressa, ansiedade, nervosismo, pessoas. E se for atração então, é mais difícil segurar.

Quando o tímido é mais novo, ela é como uma coca quente: qualquer coisinha faz ela se derramar, e quase não dá tempo de colocar o dedo pra segurar a espuma.

Com o passar da vida, o tímido aprende e começa a ter mais controle pra servir. Aprende que é melhor uma coca gelada e saber dosar é o segredo, não precisa de pressa. Se a garrafa chacoalhou antes de servir, é melhor esperar o gás abaixar.

No final o tímido vê que não existe coca sem gás, mas sim o jeito certo de colocar pra fora. Às vezes vai deixar derramar e limpar com um pano. Vai ter dia que vai ter pouco gás e nem vai precisar de colocar o dedo pra segurar.

E conclui que o bom mesmo é um copo de coca bem gelada, com bastante gás e num copo lagoinha.