Bel Pesce e o empreendedorismo de palco: porque a Menina do Vale não vale tanto assim
Izzy Nobre
3.8K370

Bah! Isso deu trabalho. Obrigado pelo serviço! Sou consultor de empresas e tempos atrás iniciei um estudo de viabilidade para lançar cursos online. Dentre vários levantamentos, observei que a maioria segue uma “fórmula” de persuasão (fórmulas oferecidas na rede são inúmeras e obviamente não funcionam em gestão de negócios, pois é uma área de conhecimento que trabalha com variáveis imprevisíveis, não matemática ).

Pois bem, um dos pontos dessa “fórmula” comum sobre persuasão é a necessidade de criar o que chamam de autoridade. Basicamente, trata-se de construir uma imagem que resulte em confiança.

Afirmações publicadas na internet sem autoridade não são consideradas e o critério para formação dessa autoridade é absurdamente superficial. Também é curioso em alguns aspectos, por exemplo, escrever com coerência pode ser negativo na formação de autoridade, é preciso escrever como as pessoas escrevem, é preciso parecer meio bobo se possível, pois a maioria das pessoas se identifica com o que se assemelha a elas. Se você parecer muito inteligente, elas podem ficar com a impressão de que não são capazes de realizar o que você está ensinando.

Esse estudo sobre persuasão é de um americano e tem informações uteis, só do que escrevi acima já dá para tirar alguma coisa, mas o problema é que as pessoas usam essas informações para desenvolver um discurso, independente do conteúdo. A Bel parece ter seguido a cartilha e o mais triste é que não é a única.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.