A minha história

Olá, sou Paulo Weydson e vou contar um pouco sobre a minha história de vida até então. Sempre fui fascinado por tecnologia, contudo, quando mais novo, não me dava muito bem com ela. Ao invés de consertar os equipamentos eletrônicos da minha casa eu os quebrava ainda mais, isso incluía PC, Videocassete, Microsystems, dentre outros. Com o passar dos anos fui adquirindo experiência e hoje, felizmente sou eu quem conserta todos os equipamentos, tendo uma maior facilidade com Desktops e Laptops. Isso me levou a querer prestar o vestibular para Engenharia da Computação, entretanto, não fui aprovado na minha primeira tentativa no vestibular, mas no meio do ano, fui aprovado com um vestibular extra que fizeram pois sobraram vagas para Engenharias na UFPE. Decidi então começar o curso de Engenharia Mecânica e acabei me apaixonando, consegui me formar sem ter reprovado sequer uma matéria da graduação.

Do meio para o fim do curso tive a oportunidade de participar do Programa Ciências Sem Fronteiras do Cnpq. No programa escolhi a Universidade de Liverpool na Inglaterra pois se tratava de uma escola referência em Engenharia Mecânica. Antes de ingressar nas aulas com os alunos locais, participei de um curso de inglês com duração de três meses com todas as aulas ministradas por professores Ingleses. Esse foi o tempo em que eu mais aprimorei meu inglês e hoje posso dizer que sou fluente tanto em fala quanto escrita e escuta.

Esse foi o meu primeiro dia conhecendo a cidade de Liverpool, fui no The Cavern, onde os Beatles começaram sua carreira.

Como alunos de intercâmbio, tínhamos liberdade em quantidade de matérias e quais matérias desejávamos fazer na universidade. Em 1 ano que fiquei na Universidade de Liverpool eu escolhi fazer o maior número de matérias possíveis e as mais diferenciadas que eu sabia que não teria como ter acesso aqui no Brasil, ao menos no meu estado, Pernambuco. Aprendi coisas extraordinárias sobre nanotecnologia e biotecnologia, todas voltadas para o futuro, além de aprender bastante sobre Energia Nuclear e fontes renováveis de energia limpa. Também nessa universidade eu não reprovei sequer uma matéria tendo um ótimo aproveitamento em sua grande maioria, afinal eram coisas que eu adorava estudar e aprender, com o extra de ser em um lugar totalmente diferente da minha realidade de berço.

Depois de voltar para o Brasil e antes de me formar, fiz o programa de estágio da Prefeitura do Recife. Neste programa tive contanto com a robótica e meu principal desafio nesse estágio era mudar totalmente minha zona de conforto. Trabalhamos com o humanoide NAO da Aldebaran Robotics, tive que pela primeira vez trabalhar com uma linguagem de programação, Python. A professora que coordenava o estágio decidiu nos colocar na competição brasileira de robótica, onde o nosso humanoide deveria cumprir diversos desafios de forma autônoma. O grande desafio era fazer isso em 3 meses, aprender uma linguagem de programação do zero e criar uma inteligência artificial em tão pouco tempo não seria uma tarefa fácil. Com a ajuda de mais dois companheiros consegui desenvolver tudo a tempo, ganhamos o prêmio de destaque da competição e como campeões de destaque ganhamos uma viagem para o Japão de 9 dias com tudo pago pelo governo Japonês, o Programa “Juntos!!”. Visitamos Universidades Japonesas tivemos aulas, visitamos museus de tecnologia, visitamos famílias do interior para ver de perto seus costumes e cultura. Essa foi a melhor viagem da minha vida, pois nela minha mente se abriu de uma forma que eu nunca esperava. O povo Japonês pensa de uma forma totalmente diferente de Ingleses ou Brasileiros, eles são eficientes, práticos e exatos, além de sempre pensar à frente e sempre inovar.

Imagem de quando ganhamos a competição de robótica pela Prefeitura de Recife
Quando visitamos o Japão e fomos no instituto de tecnologia.

Esses foram meus maiores orgulhos e conquistas na vida, não faria nada diferente, pois sei que cada passo que eu dei me guiou para o caminho que estou seguindo. Tive experiências incríveis e me transformei completamente, pois, conheci o mundo e vi como ele pensa e o que o meu país deveria fazer diferente.

Sou reconhecido pelos meus amigos e familiares como uma pessoa muito inteligente e dedicada, quanto maior for o desafio mais me empenho para superá-lo.

O principal assunto que eu perco meu tempo pesquisando e me interesso bastante é a tecnologia, vivo buscando os principais avanços tecnológicos, tanto que se utiliza no dia a dia quanto no ramo industrial. Existem realmente coisas fascinantes e com o passar do tempo se concretiza o fato da automatização dos setores produtivos, com mínima ou nenhuma interação humana.

Como a J&J se trata de uma empresa multinacional, ela trabalha com o mais alto nível de tecnologia em seu ramo produtivo, sem falar nos controles de qualidade e parâmetros de produção que a empresa zela em manter. Para a minha carreira eu não quero nada mais além disso, estar envolvido com uma empresa que investe e busca a excelência tanto de seus profissionais quanto de suas fábricas espalhadas pelo mundo, controlando mais de 97% do mercado mundial de higiene. É para mim o plano ideal, mostrar o meu valor e crescer sendo reconhecido dentro de uma das maiores empresas do mundo.

Meu propósito de vida é realmente fazer a diferença, apesar de já ter ido em diversos países do mundo eu sou bem patriota, e uma das minhas maiores preocupações é o meu país e como ele é reconhecido internacionalmente. Gostaria de estar envolvido em causas que exaltem o que o Brasil tem de melhor, dando oportunidades e investindo na mão de obra brasileira. Sei que para isto teria que atingir um elevado nível hierárquico na J&J mas será um dos meus principais objetivos no meu plano de carreira e meu desejo em como ser lembrado quando velhinho.