os diamantes que eu guardei

naquela melodia eles caíram e eu os peguei, admirando suas formas e me prometendo guardar. acontecesse o que fosse, eles estariam comigo. admirando suas formas, ao mesmo tempo em que admirei várias outras dividindo emoções escondidas, conscientemente com muito cuidado protegi em caixinhas na minha mente. como as físicas as quais protejo até hoje. sabe as estrelinhas?

há pouco, tateei mentalmente as formas lindas desses diamantes eternos. com os riscos que, apesar das mudanças que são fixas, eu sempre correrei com os meus dedos.

puta merda, a gente é muito forte e os meu olhos brilham com teus triunfos, tais quais os diamantes eternos que eu guardarei para sempre. sei que, do jeito seu, é recíproco.

eu estou feliz.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.