Um parabéns que eu nunca disse

Eita que é hoje que o meu menino, o meu bem, minha tortinha de limão faz 20 anos. E, pelo segundo ano, eu tenho a chance de vir aqui e dizer algumas palavras, tão esperadas por você durante os outros 364 (ou 365, vide o significado de “ano bissexto”) dias do ano (claro que também não preciso seguir essa data, vide que sou aquariana e não sigo regras rs).

Enfim, benzinho, quero te desejar muitas felicidades, hoje, amanhã e sempre. Além disso, muita paz (que tu precisa), muita saúde (também) e muito amor (esse não vou comentar). Claro que, desse último ano pra cá, você conseguiu já um pouquinho mais desses três, mas, como você não eu não me contento com a mediocridade, quero te desejar cada vez MAIS. Quero te desejar muito sucesso, seja em qual área for: nas matérias, com os professores, iniciações científicas, profissional e pessoal. Você me orgulha cada vez mais, voando cada dia mais alto e de forma mais consistente e é muito gratificante poder não só te acompanhar, mas também fazer parte dessa sua jornada. Eu quero, meu bem, que você seja uma pessoa feliz e realizada. Talvez, esse seja o meu pedido pra você em 2016. E, se possível, que eu continue te vendo alcançar isso, seja como uma mera espectadora, seja como uma participante ativa, ouvindo seus problemas (aqueles tantos… rs), dando sugestões e oferecendo o meu ponto de vista. Quero que você possa encontrar nos outros, e, especialmente, em mim, a confiança que tanto procura e que tão difícil é de achar. Saiba ainda, que apesar da distância, eu continuo próxima a você. Que ainda estou aqui para quando precisar. É que você sabe melhor do que ninguém que eu tenho o meu jeitinho peculiar de fazer as coisas e, enquanto para algumas, tenho muita pressa; para outras, sou mais lenta que você comendo. Eu tenho o meu PrópRio tEmpo e preciso, sim, me distanciar das pessoas às vezes. Não por mal, claro que não. Apenas para ser capaz de oferecer o melhor de mim para elas. E é só isso que eu quero te oferecer, meu amor. Porque foi você quem esteve ao meu lado nas crises, nas dificuldades, nas dores e, por que não, nas alegrias, comemorações e conquistas. Sei que já passamos por muita coisa juntos e espero tudo isso de novo esse ano. E, que em 7 meses, possamos desfrutar do melhor que o outro pode oferecer. Sem brigas, sem mágoas e sem rancor. Apenas nós. “Não sabia se podia confiar nela e já estava cansado de sua imprevisibilidade — fria num dia, meiga no outro; irresistivelmente sedutora num momento e insuportavelmente chata no outro.” Sei que, como a Alaska, posso ser polipolar, mas sei que você gosta desse meu lado também, afinal, não ser um “lugar comum” te instiga e (no fundo, no fundo) eu sei disso. E por isso te peço para confiar em mim porque, apesar de todos os problemas e toda a distância, eu estou aqui. Te amo hoje e sempre.

Escrito em 04/01/2016

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.