Quanto tempo vou levar para aprender um novo idioma?

Uma pergunta com a qual muitas vezes nos deparamos é quanto tempo demora-se para aprender uma língua estrangeira. Isto é um pouco difícil de responder, pois depende de vários fatores… Mas é fato que em geral precisa-se de tempo, meu amigo! É somente através da exposição gradual e frequente, ao longo do tempo, que vamos aos poucos assimilando a nova língua. Os principais fatores que precisamos entender para tentar responder a esta questão são os seus objetivos pessoais de aprendizado, o seu nível de motivação, a complexidade da língua que você quer aprender, e a diferença entre esta língua de estudo e a sua língua materna (que no seu caso provavelmente é o português). Além disso é claro vai depender de quanto tempo você vai dedicar a este aprendizado. A seguir vamos examinar melhor estes pontos, para depois finalmente tentarmos responder a esta difícil questão…!

Os objetivos pessoais de aprendizado

Em primeiro lugar você deve buscar entender quais são os seus objetivos de aprendizado. Você quer aprender uma língua para fazer uma viagem de turismo, e conseguir trocar algumas frases básicas na língua, como pedir comida em um restaurante ou comprar um ticket de metrô? Ou você quer ter um nível de conversação razoável, para conseguir fazer amigos falando sobre assuntos variados como viagens, música, cinema, etc.? Ou ainda, você tem com objetivo trabalhar e/ou fazer estudos universitários utilizando esta língua, sendo capaz de compreender e se expressar sobre temas mais complexos (exemplo: economia, política, aquecimento global)?

Como você pode ver, os objetivos de cada um em relação ao aprendizado de um idioma estrangeiro podem ser bem variados. Assim, “aprender uma língua” pode significar diferentes coisas, e o tempo para se atingir este objetivo vai em consequência variar muito também. O próprio conceito do que é ser “fluente” está sujeito a interpretações.

Para tentar estabelecer um objetivo de atingimento mais concreto, eu procuro utilizar uma escala de níveis de proficiência no idioma, como por exemplo o CEFR. O CEFR (Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas) é um padrão internacional que é utilizado no mundo todo para descrever as habilidades linguísticas de um aluno.

Abaixo apresentamos um mapeamento simplificado entre os três possíveis objetivos de aprendizado que listamos antes, e o nível CEFR correspondente.

Nível CEFR Objetivo de aprendizado

A Falante básico

A1 Iniciante

A2 Básico Turista ocasional. Capaz de trocar algumas frases básicas na língua, como pedir comida em um restaurante ou comprar um ticket de metrô.

B Falante independente

B1 Intermediário

B2 Usuário independente Fazer amigos e compreender temas variados. Nível de conversação razoável, para conseguir fazer amigos falando sobre varieades como viagens, música, cinema, cozinha, etc.

C Falante proficiente

C1 Proficiência operativa eficaz Trabalhar e/ou fazer estudos universitários utilizando a língua. Capaz de compreender e se expressar sobre temas complexos (ex. economia, política, literatura, tecnologia, aquecimento global)

C2 Domínio pleno

O seu nível de motivação

Como já abordei em um outro post, a motivação é um dos fatores mais importante para o sucesso no aprendizado de um novo idioma. Dizem que não há nenhuma língua que seja difícil demais para aprendermos quando estamos suficientemente motivados. Ou seja, se você está bastante motivado para aprender uma língua que é considerada a princípio difícil, talvez isto seja mais fácil para você do que aprender uma língua considerada mais fácil, mas para a qual você não esteja muito motivado.

A complexidade da língua

Existem línguas que têm uma estrutura mais complexa do que as outras. Desta forma podemos dizer que são mais “difíceis” de forma inerente. Esta complexidade pode se manifestar de diferentes formas, como a fonética, a gramática, o vocabulário, etc. O sistema de sons (fonético) da língua, por exemplo, pode ser mais simples ou mais complexo. A lingua portuguesa é um pouco mais complexa foneticamente do que o espanhol. Há mais fonemas diferentes no português, e assim podemos dizer que o português é um pouco mais complexo neste aspecto do que o espanhol (embora as duas línguas sejam muito parecidas). Outro aspecto é o gramatical. A quantidade de diferente conjugações verbais pode ser um fator. O numero de gêneros (se houverem), as diferentes concordâncias, declinações, etc., tudo isto são fatores que podem tornar a língua mais complexa ou mais simples.

Além disse, há aspectos das linguagens que podem ser mais regulares, obedecendo a uma regra. Desta fora, uma vez que aprendemos a regra, basta segui-la. Por outro lado, há línguas que têm aspectos bem irregulares. Neste caso não adianta tanto aprender as regras, você tem que se acostumar com cada uma das irregularidades.

A diferença da língua que você quer aprender em relação à sua língua materna

Um ponto que você também precisa levar em consideração é o grau de proximidade e semelhança entre a língua que você quer aprender e a sua língua materna, que provavelmente é o português, ou outras línguas que você já domine. Muitas línguas têm semelhanças entre si, em virtude de fatores históricos que influenciaram em como elas se desenvolveram. Estas semelhanças se manifestam em termos de vocabulário (palavras) em comum, bem como estruturas gramaticais e fonéticas parecidas. Os linguistas criaram classificações para isto, e geralmente agrupam as línguas que são semelhantes em famílias de línguas.

O mais importante aqui é que se você quiser aprender uma língua que seja próxima da sua língua materna, isto vai ser mais fácil a princípio para você, do que aprender uma língua que seja mais distante. Este fator, combinado com o fator que discutimos no item anterior, a complexidade inerente da língua, é o que vai dizer o quão difícil vai ser aprender a língua para você.

Peguemos o caso do espanhol, por exemplo. É um língua que em alguns aspectos é simples (fonético) mas em outros aspectos é complexo (gramática). Alguém que não tenha uma familiaridade com as línguas latinas vai provavelmente achar as conjugações verbais do espanhol bastante difíceis de aprender. Por outro lado, para alguém que já fala português ou uma outra lingua latina (como o italiano ou o francês), vai ser bem mais fácil, pois as conjugações e as regras gramaticais destas línguas são em geral bem parecidas.

Tá, mas e afinal quando tempo eu vou levar para aprender a língua?

Ok, eu expliquei nos itens anteriores que isto depende de vários fatores. Mas vou tentar agora dar uma resposta a esta pergunta.

O FSI (Instituto de Serviço Exterior dos EUA) classifica as linguagens em grupos em relação ao nível de dificuldade para um falante do Inglês, e provê uma estimativa de tempo que leva para este aprendizado. Eles têm também uma classificação em níveis de proficiência em relação ao conhecimento da língua.

O que eu fiz abaixo foi uma adaptação em relação ao modelo do FSI, procurando passar o ponto de vista de alguém que tenha o português como língua materna. Como tanto o inglês quanto as línguas latinas e germânicas estão no grupo 1 (as línguas consideradas mais fáceis), eu considerei que o nível de dificuldade para as demais línguas é semelhante ao de um falante nativo do inglês.

Os números abaixo são uma estimativa de quanto tempo leva para aprender a língua em um nível de proficiência 3 (Proficiência Geral Profissional) na escala do FSI. Observe que isto é um nível alto, difícil de chegar. Eu compararia ao nível C1 do CEFR. Então não se assuste com os números, demora bastante tempo para se conseguir atingir este nível mesmo.

Eu converti o número de horas para meses e anos assumindo uma rotina de 4 horas semanais de estudo ou exposição à língua aproximadamente, o que eu considero razoável. Então isto obviamente pode variar dependendo da sua disponibilidade e esforço.

A minha principal adaptação em relação ao modelo do FSI foi dividir o grupo 1 em subgrupos. Eu procurei ressaltar a maior facilidade do aprendizado das línguas latinas para um falante nativo do português. Além disso, eu incluí o inglês na lista (como originalmente a tabela foi desenvolvida para falantes do inglês, esta lingua não estava incluída).

Observe que a tabela abaixo não é científica. Ela serve somente como uma referência. É para você ter uma idéia de quanto tempo vai levar para aprender a língua, e assim se planejar e se motivar melhor.

Categoria 1 (600 horas, 3 anos de aprendizado) — línguas próximas ao Inglês e ao Português

1.1 Línguas bem próximas ao português (neste caso eu entendo que o tempo se reduz bastante, 400 horas, 2 anos)

Espanhol, Italiano, Catalão

1.2 Outras línguas latinas (480 horas, 2.5 anos)

Francês, Romeno

1.3 Línguas germânicas

Inglês, Holandês, Norueguês, Sueco, Dinamarquês (observar que entre as línguas listadas aqui eu considero o Inglês a mais fácil de aprender entre elas para um falante do português, já que tem um bocado de vocabulário em comum com as línguas latinas)

Categoria 2 (750 horas, 4 anos de aprendizado)

Alemão (fica separado em um grupo a parte por ser considerado um pouco mais complexo que as demais línguas germânicas)

Categoria 3 (900 horas, 4.5 anos de aprendizado) — línguas com diferenças linguisticas e/ou culturais em relação ao Inglês e ao Português

Indonésio, Malásio, e Swahili.

Categoria 4 (1100 horas, 5.5 anos de aprendizado) — línguas com diferenças linguisticas e/ou culturais significativas em relação ao Inglês e ao Português

Albanês, Amárico, Armênio, Azerbaijano, Bengali, Bósnio, Búlgaro, Birmanês, Croata, Checo, *Estoniano, *Finlandês, *Georgiano, Grego, Hebraico, Hindi, *Húngaro, Islandês, Khmer, Lao, Letão, Lituano, Macedônio, *Mongol, Nepalês, Pashto, Persa (Dari, Farsi, Tajique), Polonês, Russo, Sérvio, Sinhala, Eslovaco, Esloveno, Tagalog, *Tailandês, Turco, Ucraniano, Urdu, Uzbeque, *Vietnamita, Xhosa, Zulu

Categoria 5 (2200 horas, 10 ou mais anos de aprendizado) — línguas que são excepcionalmente difíceis para falantes nativos do Inglês e do Português

Árabe, Cantonês (Chinês), Mandarim (Chinês), *Japonês, Coreano

* Usualmente mais difíceis de aprender que as demais linguagens listadas na mesma categoria.

Conclusão:

Espero que este artigo tenha ajudado você a entender um pouco mais sobre os fatores que interferem no tempo que leva para você aprender uma língua. Com este entendimento, ficará mais fácil você traçar metas realistas para o seu estudo. Lembre-se que o mais importante no final de contas é manter-se motivado e divertir-se no processo!

Um abraço e até a próxima.

Posts relacionados:

  1. Motivação: o fator essencial para o sucesso no aprendizado de uma língua.