Carta para mim mesmo

Olá,

Faz tanto tempo que eu não te vejo… Decidi escrever para você no intuito de te dizer que voltei. Estou aqui e preciso muito te ouvir. Vou ficar atento a todos os sinais que você me der de agora em diante. Nesse tempo em que estivemos separados, parece que a sua voz permanecia, de alguma maneira, no fundo da minha cabeça, sussurrando as verdades que eu não tinha coragem de encarar. Obrigado por não ter desaparecido, mesmo quando eu te dei as costas.

Eu sei que você não vai me aceitar de volta assim tão fácil. É claro, o que eu fiz para você não foi nada legal. No linguajar problematizador do momento, dá até para dizer que isso aqui é um relacionamento abusivo. Pode até ser que seja, mas estamos trabalhando para mudar essa realidade. Eu quero cuidar de você. Quero te entender, quero passar longas tardes aos finais de semana só ouvindo os seus demorados desabafos. Quero ficar em casa com você e te deixar escolher as músicas que vão tocar. Quero ouvir o que você tem a dizer sobre elas. Quero entender o que fez com que você escolhesse cada uma delas. Quero dormir do seu lado e abraçar você. Quero sentir o teu calor me esquentando nas noites geladas.

Você sabe, a minha vida não é fácil. Não dá para a gente se encontrar toda hora. Eu trabalho bastante, tenho tanta coisa para fazer… Mesmo assim, quero reservar pelo menos uma hora do meu dia para que a gente possa bater um papo. Claro, quando você tiver alguma emergência, eu não vou mais tentar abafar o som do seu grito por socorro. Eu vou deixar ele ressoar e talvez eu grite junto com você e alguém venha nos ajudar. Você que manda.

Queria aproveitar essa oportunidade também para dizer que, apesar de não demonstrar com tanta frequência, eu gosto de você. Eu gosto do que a gente construiu. Eu olho para você e vejo alguém que eu admiro. Por um tempo, achei que você nem existia. No entanto, o silêncio não faz seu tipo, não é mesmo? Ficar quieto, para você, é o inferno. Quando entendi que não tinha como fugir de você, te permiti atravessar a minha pele e existir por meio dos meus cinco sentidos. Esses momentos, em que você conseguiu se apropriar de todos eles foram tão bons… Precisamos fazer isso mais vezes.

Preciso te pedir desculpas, por todo esse inconveniente. Principalmente por, em alguns momentos, ter acreditado que seria capaz de te deixar de lado para viver com outras pessoas. Possivelmente, essa foi a razão maior deste nosso mais recente hiato.

Espero que você me perdoe.

Eternamente,

Eu.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.