O Desrespeito de São Paulo com Acidentes Aéreos

Ouvi dizer que tem um acidente de avião marcado pra acontecer hoje na av. Paulista.

São Paulo tem que aprender a ser menos formal com esse tipo de coisa. Um avião não tem que marcar uma data pra bater em um prédio, faz uma surpresa pra gente. Ninguém nunca está em um compromisso importante o suficiente pra não poder ser atingido por um avião! Ou melhor, nunca um avião que está caindo vai parar de cair só pra não atrapalhar a sua reunião com possíveis investidores.

”- Senhor, sua reunião com os investidores começa em 20 minutos, mas tem um voo da TAM vindo em direção a sua sala e parece ser urgente. O que eu faço?
- Ahhhh… tsc… deixa ele entrar.
- Mas senhor, sua reunião está marcada pra daqui a 20 minutos!
- Você consegue segurar ele na recepção, dona Cleide?
- Errrr…
- Você consegue?
- Bem…
- É uma pergunta simples! Você consegue?
- Senhor… Ele é um avião.
- Então manda ele então!
- Ok! Cancelo a reunião então?
- Não, não! Vai ser engraçado quando eles virem essa!”

É assim que um avião deveria ser tratado! Se eu sou esse avião cairia em outra região só pelo abuso de me fazer achar um lugar na agenda dessa cidade tão ocupada. Cairia no parque do Ibirapuera! Todo mundo achando que eu vou cair no seu centro de negócios e eu caindo no meio da galera que tá lendo um livro deitada na grama, e você adiou seu almoço pra nada, Sr. Executivo. Eu sou um avião, caído, eu não tenho nada a perder.

Originally published at pedrocohen.tumblr.com.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.