De sexta pra sábado

Chega aqui. Me beija no portão e depois na beira da pia de novo.

Vamos pro quarto. Esqueça suas cicatrizes no escuro enquanto eu coloco algumas músicas para você acariciar minha nuca.

Deixa de ser bobo. Eu adoro suas sobrancelhas suadas e o seu cabelo bagunçado.

Continue dormindo. Vou passar um café e te levar na cama com um quadro negro porque não tenho bandeja de café da manhã.

Desculpa. A torrada estava murcha, mas meu pau estava duro com o seu carinho na minha coxa.

Não vai agora não. Ainda nem te contei como você fica lindo gozando de manhã.

Então volte mais tarde. E fica. Comigo, com a minha cachorra louca e todas essas coisas simples que me fazem sorrir.

Like what you read? Give Pedro Hermínio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.