CAPITULO 2 — SEMANA 3

O objetivo dos capítulos não é que você, caro leitor, leia em cascata todos os textos postados nessa rede social, mas sim que você identifique, que nós, meros humanos, tentamos no diferenciar, todavia sempre temos virtudes e emoções em comum. Você, querendo ou não, irá encontrar indivíduos com caractéristicas parecidas com os personagens presentes nestes textos, pelo simples fato que todos os atores descritos são homens e mulheres reais.

As semanas foram se passando, e cada memória que eu guardava na minha mente sempre se via embriagada do mar de imaginação presente no meu intelecto. Lara se via presa em seus próprios medos — diga-se pânico — diante de uma apresentação de trabalho na faculdade, em que nem todos sabemos como lidar. A trupe se via encurralada sem saber o que fazer com a nossa personagem mais dócil da série e minha mente viajava percebendo que aquilo que ela estava sentindo ocorre cada vez mais em nossas vidas, em que o relógio corre roubando nosso tempo precioso, gasto muito vezes coisas inúteis.

O pessimismo encontrado nos linhas seguintes não foram inspirados no pessimismo romântico encontrados há milhares de anos atrás. O “mal do século” hoje, é que o ciclo se repete, as emoções evocadas são sempre as mesmas independente da época em que nos encontramos, o que mudam são os obstáculos que encontramos. É engraçado ver que a trupe se reúne, e como bons amigos ainda nos encontramos fixados em nosso telefones celulares, submersos em um mundo virtual que nos engole cada dia mais. Existem males que vêm para o bem, se não fosse pela revolução tecnológica, eu não estaria aqui escrevendo para vocês, já que como dizia o brilhante Eric Hoffer “ A busca da felicidade é uma das principais fontes de infelicidade.”