Para construir algo marcante não existe limites

Já olho o copo de bebida com um pensamento sombrio, me pergunto se estou viciado, a cada gole meus pensamentos se organizam melhor é como gasolina para meus escritos. No momento perfeito em que o álcool sintoniza com meu sistema nervoso os pensamentos e palavras veem como uma enchente ou um furacão, abrindo cada porta e destruindo cara barreira.

Qual a linha entre usar e se viciar? Me pergunto sobre isso cada vez que escrevo; só consigo escrever assim, sóbrio meus pensamentos são barrados/bloqueados e nesse estado perfeito eles gritam em minha mente.

Será que o vício é ruim assim? Se ele te torna produtivo qual o problema? Não adianta combater o vício; mesmo com todos os grupos de apoio e clinicas de reabilitação ele não larga você e você não o larga, o impulso do vício é apenas bloqueado, é importante saber conviver com o mesmo e manuseá-lo de forma positiva para seus propósitos. Na busca de imaginação e criatividade para construir algo marcante não existe limites, deixe seus demônios dirigirem o carro para a reta final e no final mostrar ao mundo alguma coisa relevante.

____________P.LIX