A participação na “Inteligência Coletiva” de Pierre Levy

O desenvolvimento do “ciberespaço” do Pierre Levy em seu livro Cibercultura é orientado por três princípios essenciais: interconexão, comunidades virtuais e inteligência coletiva que são interdependentes e condicionantes.

A interconexão acontece através de recursos mecânicos, máquinas, redes (internet) ou teias(web), o que promove a interação das pessoas de diversas culturas sem a necessidade de sair do lugar.

Em relação as comunidades virtuais, podem ser consideradas o meio de possibilidades e é construída de interesses em comum, de conhecimentos, um processo de cooperação ou de troca, tudo isso acontece independente das proximidades geográficas. Exemplo disso é presença massiva de pessoas nas redes sociais, Facebook, blogs, Twitter, que compartilham de interesses e conteúdos em comum, fazendo com que a informação seja disseminada entre comunidades lugares diversificados, estreitando laços para uma comunicação espontânea.

A inteligência coletiva seria uma forma do homem pensar e compartilhar seus conhecimentos com outras pessoas, utilizando recursos mecânicos como a internet e dos próprios usuários que produzem e publicam seu conhecimento para que outras pessoas tenham acesso. Exemplo disso é a Wikipedia, um site escrito de maneira colaborativa com o intuito de engajar pessoas para coletar e desenvolver conteúdo.

Pode-se notar que a inteligência coletiva é o que move as comunidades virtuais, transmissão de informação com os sentimentos e emoções relativos ao conteúdo que está sendo compartilhado entre as pessoas. Para Levy, a inteligência coletiva é a distribuição do conhecimento entre todos os indivíduos, não estando restrita a poucos privilegiados. Não há ninguém que seja descartável neste cenário, o saber está na humanidade e qualquer individuo pode oferecer conhecimento, por essa razão, o autor afirma que a inteligência coletiva deve ser valorizada. Bastando apenas a necessidade de encontrar o contexto em que o saber do indivíduo pode ser considerado valioso e importante para o desenvolvimento de um determinado grupo.

O autor ainda lembra que a cibercultura possui uma imensa variedade de gêneros artísticos. Um aspecto importante é a interação e a possibilidade de colaboração entre artistas engenheiros no desenvolvimento de uma obra, espécie de construção coletiva. Mesmo se o autor e a gravação forem relegados a segundo plano é possível uma grande arte do virtual.

A música popular no passado era produzida e consumida somente localmente. Com as novas plataformas digitais de música, é possível compartilhar batidas, sons, toques que podem ser acessados por outros artistas e ser produzida uma nova música e torná-la um sucesso mundial. A música tecno, com suas inovações e fórmulas dinâmicas, é um exemplo do universal sem totalidade que define a essência da cibercultura.


Texto produzido para a disciplina de Comunicação e Tecnologia.