Minha arte… ah, poética insolente! Minha caçada as coisas do coração. O reflexo egoísta desta mente que recusa sermão, política, religião.
O alquimista
L. Nicolai
214

Que trecho foda! Lembrou a Alquimia do verbo, de Rimbaud. E acho que não tem atestado de qualidade maior que lembrar Rimbaud hahahaha