Definindo amor

difícil explicar a minha definição tão peculiar do amor, antes eu acreditava com todas as forças que amar era apenas querer bem acima de tudo, acho que estava certo naquele momento, assim como o fato do amor ser infinito, e por ser infinito nunca deixou de acontecer, apesar de não exercer mais esse amor ele nunca deixou de existir, mesmo amando uma nova pessoa, isso acontece com cada nova mulher que amo (poderia dizer amei, mas ele é infinito), e isso se estende a família, não importa o que façam ou errem eu continuo sempre amando.

Mas e quando não consegue amar mais? E quando encontra o limite do infinito, e como uma fronteira tangível não consegue ultrapassa-lo. Seu amor infinito por todos os outros míngua como uma planta que parou de ser regada, ou um Órgão que atrofia por desuso, é quando uma brisa leve trás uma breve chuva, uma foto, uma voz o amor cresce como uma flor a te alegrar? Ou um espinho a te ferir…

Sim, o amor é eterno nos corações débeis daqueles que sentem, no entanto, nem tudo aquilo que é sentido, vem da maneira esperada, além de viram em alegria, júbilo e prazer, também vem com dor, medo e solidão, inclusive vem num mar de entorpecimento, te tornando vazio pra todo o resto. Ainda assim, é difícil explicar minha definição tão peculiar de amor.