A força da audiência de direita

Descrição da imagem: Uma seta aponta para a direita.

Um fenômeno interessante, que vem crescendo de forma consistente nos últimos anos, é o desenvolvimento de canais e produtos culturais voltados para uma audiência que se posiciona mais à direita do espectro político.

O grande ícone desse movimento é o filósofo Olavo de Carvalho, que possui milhões de seguidores nas redes sociais. Neste artigo, vou abordar três iniciativas que estão alcançando uma larga quantidade de pessoas simpática ao conservadorismo e ao liberalismo.

O Jardim das Aflições

O documentário O Jardim das Aflições trata do cotidiano e do pensamento de Olavo de Carvalho. Ele foi dirigido pelo cineasta pernambucano Josias Teófilo. O grande feito dessa produção foi se tornar o maior crowdfunding da história do cinema nacional. Ao todo, 5 mil investidores anônimos levantaram R$315 mil pela plataforma Catarse, superando a meta inicial de R$252 mil.

Por ironia do destino, a maior ação publicitária da obra foi realizada por seus detratores. Depois de tentar a participação em diversos festivais, o filme foi aceito no Cine Pernambuco 2017. Como resposta, sete cineastas decidiram se retirar da mostra.

Em nota, eles alegaram que o festival privilegiou “um discurso partidário alinhado à direita conservadora e a grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016”.

A partir do episódio, a equipe do documentário adotou um slogan que ficou famoso entre seus fãs: “o filme que não deveria existir”. A produção está sendo exibida em cinemas de diversas cidades no Brasil e nos Estados Unidos com sessões quase sempre lotadas.

Brasil Paralelo

Outra ação também de larga escala, focada na audiência de direita, é o congresso online Brasil Paralelo, que reuniu vários atores liberais e conservadores.

A estratégia de divulgação foi oferecer uma série com seis episódios sobre diferentes temas, que vão desde o papel da monarquia no Brasil até o impeachment da presidente Dilma Roussef. O modelo de monetização é pautado pela venda de assinaturas para se tornar sócio-fundador e ter acesso a 85 entrevistas exclusivas.

Segundo os organizadores, esse foi o maior evento do tipo em toda América Latina. Eles também afirmam já ter passado da casa dos milhões em faturamento.

O Antagonista

O site fundado pelos comentaristas políticos Diogo Mainardi e Mário Sabino recebe uma média de 10 milhões de visitas por mês. Seu modelo é baseado nos chamados timing posts, textos rápidos e diretos sobre um tópico de grande apelo. No caso de O Antagonista, o tema é quase sempre o mesmo: a possível prisão do ex-presidente Lula.

No ano passado, a consultoria econômica Empiricus comprou 50% do canal. Com o aporte de recurso, houve uma expansão da equipe e também um investimento em novas tecnologias e canais.

Tendência

O crescimento de canais mais ideológicos ilustra uma tendência muito forte na internet, principalmente nas redes sociais. As pessoas querem, cada vez mais, ler e consumir somente conteúdo que se alinhe com suas preferências sociopolíticas.

Isso leva ao surgimento de iniciativas de nicho que falam só o que as pessoas querem escutar. É uma ótima oportunidade de negócios, mas talvez não seja assim tão positivo para o debate democrático.