Quebrar um compromisso é o mesmo que assassinar um futuro

Foto: Elora, janvier 2013, © A Meteor Shower

Se eu pudesse enumerar as coisas que mais me tiram do sério, a falta de comprometimento estaria em primeiro lugar. Vou explicar o porquê.

Quando uma pessoa assume um compromisso com outra, espera-se que tal compromisso seja honrado. Ou seja, ambas as partes criam uma expectativa com relação ao que vai acontecer. Caso alguma dessas pessoas quebrem o compromisso, essa expectativa morre. É um argumento semelhante ao usado por Peter Singer com relação a vida do ser humano. Quando um humano morre, não morre apenas ele, mas tudo aquilo que ele planejou fazer no futuro. A quebra de um compromisso, a meu ver, assemelhasse muito ao raciocínio de Singer.

Obviamente, o compromisso não atinge só o futuro. A consequência de assumir um compromisso é imediata no aqui e agora. Muda-se o que seria feito em um determinado período para adaptar-se, da melhor forma possível, ao que é esperado pelo compromisso.

Sendo assim, caro leitor, da próxima vez que você for quebrar um compromisso que assumiu, por menor que ele possa ser, pense no estrago que você causará. Você será responsável pela alteração do comportamento presente de um indivíduo e da morte do seu futuro prometido.