Letter of Intent . Pedro Eduardo Souza

Olá pessoal da J&J! Me chamo Pedro Eduardo e tenho 24 anos. Minha história com a Johnson já caminha junto há mais de um ano diretamente e indiretamente desde que eu nasci. Cresci no interior, na cidade de Assis, sempre buscando fazer novas coisas e tentando ajudar as pessoas que estão ao meu redor, com um sorriso no rosto, boa vontade e determinação, e dessa forma, acredito que tudo se resolve! Foi assim que fui pra Minas Gerais, no interior também, cursar Engenharia de Produção na UNIFEI, mudando minha visão de mundo e me dando liberdade para fazer minhas escolhas e desenvolver minhas responsabilidades.

Quando penso sobre o que tenho orgulho de ter conquistado, dois acontecimentos vêm logo na minha cabeça: intercâmbio e estágio. Estava eu, no meu segundo ano de graduação, com todos os sonhos de conseguir uma bolsa de intercâmbio e aperfeiçoar meu inglês, quando surgiu uma vaga para quem era membro do PET (Grupo estudantil do qual eu fazia parte) para concorrer uma bolsa pelo programa BRAFITEC na França. Enxerguei nisso uma grande oportunidade só que com um porém, eu não falava nada de francês. Fiz um curso intensivo da língua, estudei, estudei e estudei e no fim do ano prestei a prova de proficiência, conseguindo o resultado necessário para a bolsa, e ufa, que alívio! Tive uma das minhas melhores experiências, consegui boas notas na universidade, desenvolvi projetos muito diferentes dos que já havia realizado no Brasil, tendo contato com múltiplas culturas e pessoas.

Já minha segunda conquista envolve diretamente essa empresa pela qual tenho tanto carinho. Além de ter sido uma empresa que sempre admirei e valorizei a marca, a Johnson & Johnson foi a companhia que investiu e apostou no meu estágio, fui um dos selecionados dentre os 18.000 candidatos que aplicaram em 2017 e entrei para área de Inteligência de Mercado, na Medical Devices. Desenvolvi atividades que deram e dão suporte para tomada de decisão do business, e direcionam as ações da empresa para que elas sejam ainda mais assertivas, me permitindo desenvolver habilidades como relacionamento interpessoal, visão estratégica e analítica, além de uma gestão pessoal mais eficiente.

Essas duas experiências trouxeram grandes aprendizados tanto na minha vida profissional quanto pessoal. Aprendi que tenho um potencial enorme e que com foco e esforço consigo alcançar o que desejo. Aprendi que sou muito flexível e consigo identificar oportunidades que antes não enxergava, mas, como nem tudo é perfeito, vejo também que poderia duvidar menos de mim e ter muito menos medo de arriscar, porque afinal, toda falha é também um aprendizado.

Dentre todas as minhas grandes transformações, sair da casa dos meus pais, morar fora do país sozinho e mudar pra São Paulo por conta do estágio, a que mais me impactou é a primeira. Ter mudado de casa com 17 anos me permitiu que eu desenvolvesse um senso ainda mais forte de independência, responsabilidade e ownership das minhas atividades. Ter tido essa experiência de desenvolvimento quando me mudei, com toda certeza abriu minha visão de mundo, me deu confiança para que seguisse meu próprio caminho e tomasse minhas próprias decisões. E isso foi ainda mais intensificado pelas outras transformações que citei, em São Paulo tive contato com uma diversidade muito grande de pessoas e projetos, mostrando ainda mais a importância das diferenças na minha vida.

Quando tenho que responder sobre como sou reconhecido é sempre confuso, pois criamos uma visão de nós e acabamos nos limitando ao que fica no superficial. O que realmente consigo dizer, é que sempre fui reconhecido por ser uma pessoa alegre, simples e que tenta deixar as pessoas ao meu redor à vontade. Minha mãe diria ainda que tenho a opinião forte e que quando tenho algo em foco é muito difícil eu desistir, mas mãe é mãe né?! Mas com certeza minha característica mais marcante, em todos feedbacks que vamos recebendo durante a vida, é que sou uma pessoa muito comunicativa e sempre disposta a ajudar. E outra característica que reconheço ser muito forte em mim é empatia, de tal forma que é muito difícil eu não me colocar no lugar das pessoas com quem tenho contato.

Sou uma pessoa com inúmeros hobbies, sou curioso e gosto de estar em contato com muitos assuntos diferentes, mas quatro coisas na vida são minhas paixões: música, arte, tecnologia e trabalho social. Penso que música é uma maneira de se conectar com as pessoas; arte, de entender pessoas e trabalho social, de cuidar de pessoas (claro!). E não esquecendo sobre tecnologia, que é algo que sempre me despertou interesse, entender como as coisas funcionam, o que posso aprender de novo, para isso, utilizo muito de podcasts, que é um formato de mídia mais dinâmico e interativo, podendo acompanhar diversos temas que me interessam e agradam.

O Trainee da J&J é meu maior foco nesse ano. Desde que tive a oportunidade de conhecer essa empresa tão apaixonante, que tem respeito pelo seu colaborador, preocupação com seus clientes e comprometimento com a comunidade em que está inserida (como dito no nosso tão importante Credo), não consigo não pensar em continuar nessa empresa. Foi aqui que conheci pessoas incríveis, trabalhei em uma equipe que não só ajudou no meu crescimento profissional, desenvolvendo minhas habilidades analíticas e dinâmicas, como se tornaram meus grandes amigos também. Acredito que esse programa é o próximo passo para meu desenvolvimento profissional e pessoal, tendo a oportunidade de liderar e guiar projetos, tendo ownership no que faço, apoiado por todos os aprendizados que citei anteriormente.

E por fim, meu propósito de vida, por mais clichê que possa parecer, é melhorar a vida das pessoas. Meu lema é uma frase que diz pense globalmente e aja localmente, transformando minhas ideias em atitudes para de fato impactar na realidade das pessoas. Quero ser exemplo para as pessoas que me são queridas e ser sempre lembrado como alguém simples, feliz, amigo e que soube buscar o que a vida tem de melhor: viver!