Ódio não é figurativo.

“Ódio é uma palavra e um sentimento muito forte.”, me disseram. De fato. Apesar de ser menosprezado. Ódio não é raiva, não é rancor, não é magoa. É tudo junto. Tudo de ruim que pode existir. Ódio é o pior sentimento que alguém pode ter. Não afeta segundos, nem terceiros. Afeta, diretamente, você mesmo. Te queima de dentro para fora. Mata pequenas chances de você ser feliz. Destrói oportunidades de conhecer gente nova. Tira a beleza da vida. Ódio não é figurativo. Não é passageiro. Não é modo de falar. O ódio é obscuro. É vingativo. É masoquista. É radioativo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.