A piada mais engraçada do mundo

O LaughLab é um projeto criado pelo pesquisador e psicólogo inglês Richard Wiseman para tentar descobrir qual era a piada mais engraçada de todos os tempos. Em parceria com a British Science Association, ele montou um local na internet onde os usuários poderiam cadastrar as piadas que consideravam engraçadas, além de avaliar as piadas enviadas por outras pessoas.

Entre setembro e dezembro de 2001, o site recebeu um total de mais de 40 mil piadas e um milhão e meio de avaliações. A partir dessas informações, foi elaborado um estudo que identificou algumas características a respeito do humor das pessoas que participaram:

Irlandeses, ingleses, escoceses, galeses, australianos e neozelandeses avaliaram melhor piadas que continham algum tipo de trocadilho ou jogo de palavras:

P.: Como se faz um nó em duas motos?
R.: Pega as duas Yamaha.

Americanos e canadenses geralmente preferem piadas onde há uma relação de superioridade entre os personagens, onde a graça da piada está em apontar a estupidez de outra pessoa:

O português chega em casa com a caixinha de Mate Leão em baixo do braço, a esposa vira e fala: — Querido lhe pedi veneno para matar ratos e você me traz um Mate Leão. — Se mata até leão você acha que não vai mata um rato?!

Muitos países europeus, como França, Dinamarca e Bélgica, gostam de piadas que contenham algum elemento de nonsense:

Um cachorro entrou no correio e pediu para escrever um telegrama. O funcionário do correio pediu para que ele ditasse a mensagem e o cachorro disse: — Au. Au. Au. Au. Au. Au. Au. Au. Au. O funcionário então disse: — Você só disse 9 palavras, eu posso colocar mais um “Au” no telegrama pelo mesmo preço, se você quiser. O cachorro respondeu: — Mas isso não faria sentido algum!

De acordo com o estudo, o comprimento ideal para uma piada é de 103 palavras. Para corroborar com essa teoria, foram levados em conta os dados das piadas mais bem avaliadas na pesquisa; não por coincidência, a piada vencedora possuía 102 palavras (em inglês).

De todas as piadas que envolviam algum tipo de animal, as mais bem avaliadas eram as piadas que continham patos:

P.: Por que o pato tem ciúme do cavalo?
R.: Porque o cavalo tem quatro patas (e uma delas é esposa do pato).

A piada vencedora

A piada vencedora foi enviada por um psiquiatra de 31 anos (à época) chamado Gurpal Gosall (eheheh), de Manchester, Inglaterra. Ele disse que gostava da piada porque ela fazia as pessoas lembrarem que sempre há alguém em algum lugar que está fazendo algo mais estúpido que elas.

A piada vencedora foi essa:

Dois caçadores de Nova Jérsei estavam na floresta quando um deles cai no chão. Ele não parece estar respirando, seus olhos estão revirados. O outro rapaz pega o celular e chama o serviço de emergência. Ele diz ao operador: “Meu amigo está morto! O que eu faço?”. O operador, com uma voz tranquilizadora e calma, diz: “Calma, relaxe. Eu posso ajudar. Primeiro, certifique-se que ele está realmente morto”. Há um silêncio na linha, então ouve-se um tiro. O rapaz volta ao telefone e diz “Ok, e agora?”.

Essa piada sintetiza as três teorias do humor, já abordadas aqui no blog anteriormente: A teoria da superioridade (pois nos sentimos superiores intelectualmente ao caçador da piada), a teoria da incongruência (pela reação não-convencional que teve ao ouvir a instrução do atendente) e a teoria do alívio, porque, de certo modo, rimos de nossa própria condição, da liberação da ansiedade que a mortalidade traz.

De acordo com o professor Richard Wiseman, a piada original teria sido criada no início da década de 50, em um esquete do comediante e escritor Spike Milligan no programa de rádio The Goon Show, que estrelava juntamente com Peter Sellers, Michael Bentine e Harry Secombe — que posteriormente foi adaptado para a TV e tido como uma das principais influências de Beatles e Monty Python Flying Circus (!).

Por falar em Monty Python, é impossível falar no tema “a piada mais engraçada do mundo” sem lembrar deste sensacional esquete.


Originally published at sobrecomedia.com on December 12, 2013.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Thiago Schwartz’s story.