Espere, eles acharam a cura!

Você já se sentiu ofendido com uma piada, não por ser o alvo, apenas por ouvir algo que faz pensar “nossa, por que ele disse isso“? É mais ou menos isso que você sente durante boa parte do tempo em Beer Hall Putsch, um show especial de Doug Stanhope.

Pra começar, o título do show já remete à tentativa nazista de tomar o poder em Munique, na Alemanha. Mas essa é a parte menos desconfortável do show, que tem ao todo dez temas. Destes, cabe ressaltar três:

Occupy elsewhere/Triage the charity/10k fun run for nothing

Nessa parte do show, Doug fala sobre manifestações, caridade e eventos beneficentes, e sobre como os esforços das pessoas podem estar concentrados nas ações erradas. Ele sugere, por exemplo, que os manifestantes da Occupy Wall Street tivessem deixado de ocupar as ruas e passado a ocupar os bancos, que eram os principais alvos das manifestações. Com argumentos bem razoáveis (essa é a parte menos chocante do especial), Doug incentiva o público a repensar o modo como deve-se ajudar aos que precisam.

60 Inches of AIDS On Any Given Sunday

Aproveitando o gancho da caridade, Doug fala sobre como a NFL (liga de futebol americano dos EUA) apoia o combate ao câncer de mama, e como ele é contra isso. Até aí, tudo bem, o problema é que ele baseia seu argumento utilizando uma descrição gráfica de quase 10 minutos, detalhando a fantasia que tem ao assistir um jogo de futebol americano: uma corrida nu ao campo de jogo, onde encontra e faz sexo forçado com um jogador de seu time. Nesse contexto, a conscientização sobre o câncer de mama desviaria o foco da preocupação de seu eu fantasioso a respeito da AIDS que poderia ter pego durante a sessão de sexo forçado.

Farewell, Mother

A parte mais interessante do especial, a meu ver, é o momento em que Doug conta como ajudou sua mãe a cometer suicídio — sim, isso mesmo. Ao contrário do que se esperaria de uma situação dessas, não há nenhuma tentativa de autopiedade ou de causar alguma emoção na audiência, ele apenas descreve como sua mãe desenvolveu um enfizema terminal, decidiu acabar com a própria vida e contou com a ajuda dele para fazer isso. A frase do título foi dita por Doug após a mãe ter tomado os comprimidos de morfina, uma última piada antes da morte.

Esse show não é recomendado pra ver com a família. É recomendado pra ver sozinho, sem ninguém pra julgar quando você ri de um idoso em um palco de teatro comunitário dando mostras de senilidade. Apesar de, num primeiro momento, parecer algo mórbido e de mau gosto, Stanhope consegue mostrar que talvez praticamente tudo possa ser transformado em algo engraçado, que a própria condição humana seja digna de riso. Uma atitude louvável feita do pior jeito possível (o que é bom).

- Você pode comprar o Beer Hall Putsch na Amazon ou assistir no Netflix Brasil.

Originally published at sobrecomedia.com on September 25, 2013.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.