A Vida e a História de Michael Young

Pesquisa, tradução e edição de Ronald Péret

Michael Young, Baron Young of Dartington, by Catherine Shakespeare Lane, 1 June 1997

Michael Young, Barão Young de Dartington (9 de agosto de 1915–14 de janeiro de 2002) foi um sociólogo britânico, ativista social e político que cunhou o termo “meritocracia”.

Durante uma vida ativa, ele foi fundamental para moldar o pensamento do Partido Trabalhista. Quando foi secretário do comitê de política do Partido Trabalhista, foi o responsável pela elaboração do livro “Let Us Face the Future” (“Deixe-nos enfrentar o futuro”), um manifesto do trabalhadores para as eleições gerais de 1945, [1] foi um dos principais protagonistas da reforma social e fundou ou ajudou a encontrar uma série de Organizações socialmente úteis, entre estas incluem a Associação de Consumidores; Which? (Qual?) uma revista; o Conselho Nacional do Consumidor; a Universidade Aberta; o National Extension College; o Open College of Arts e Language Line, um negócio de interpretação pelo telefone.

Young nasceu em Manchester, filho de um violinista e crítico de música australiano e uma pintora e atriz irlandesa. Até os oito anos, ele cresceu em Melbourne, retornando à Inglaterra pouco antes do casamento dos pais terminar. Ele freqüentou várias escolas, eventualmente entrando em Dartington Hall, uma nova escola progressiva em Devon, na década de 1920. Ele teve uma longa associação com esta pequena escola, como aluno, administrador, vice-presidente e historiador. Ele estudou economia na London School of Economics, então se tornou um “Barrister”, um tipo de advogado em jurisdições de direito comum, eles se especializam principalmente em advocacia e litígio no tribunal. Suas tarefas incluem a tomada de processos em tribunais e tribunais superiores, elaborando argumentos legais, pesquisando a filosofia, hipóteses e histórico da lei, e dando pareceres jurídicos especializados. Muitas vezes, este tipo de advogados também são reconhecidos como juristas, quando ele se candidatou para ser “called to the bar” em 1939, este “chamado para o bar” é um termo legal na maioria das jurisdições de direito comum, onde as pessoas devem ser qualificadas para serem autorizadas a argumentar em tribunal em nome de outra parte e, em seguida, são ditas terem sido “convocadas para o bar”, mas literalmente se refere à barreira de madeira em tribunais antigos, que separava a área pública em um espaço perto dos juízes, parcecendo balcão de um bar, aonde os advogados se sentariam ou ficavam imediatamente atrás dele, de frente para o juiz, e podiam usá-lo como uma mesa para os seus instrucoes e notas.

Carreira política e pensamento

Durante a Segunda Guerra Mundial, Young serviu como diretor do grupo de pesquisa do Planejamento Político e Econômico e tornou-se diretor de pesquisa do Partido Trabalhista, onde escreveu o manifesto para as eleições gerais de 1945 e o vasto guia dos falantes. Ele serviu sob o governo do Partido Trabalhista liderado por Clement Attlee, mas deixou em 1950 afirmando que o partido tinha ficado sem idéias. Ele pediu o estabelecimento de um Conselho de Pesquisa em Ciências Sociais e se tornou seu primeiro diretor 17 anos depois. [2]

Ele começou a estudar para um doutorado na London School of Economics em 1952. Seus estudos de habitação e política do governo local em East London deixaram-no desiludido com o estado das relações com a comunidade e os conselheiros locais do trabalho. Isso o levou a fundar o Instituto de Estudos Comunitários, que foi seu principal veículo para explorar suas idéias de reforma social. Seu princípio básico era dar às pessoas mais palavras ao dirigir suas vidas e instituições. Butler argumenta que se baseou em órgãos de pesquisa existentes em psicologia social e sociologia para destacar a relevância da família alargada na sociedade moderna e oferecer um modelo de cidadania socialista, solidariedade e apoio mútuo não vinculado ao trabalho produtivo. Young promoveu as redes de parentesco de apoio da classe trabalhadora urbana e uma concepção idealizada das relações entre as mulheres, sugerindo que a família tinha sido negligenciada pela esquerda e deveria ser recuperada como uma força progressiva. O objetivo era fortalecer a família da classe trabalhadora, configurando-a como modelo para o socialismo cooperativo. [3]

Ele neste momento fundou o Centro de Assistência Mútua . Young foi co-autor com Peter Willmott “Family and Kinship in East London, documentando e analisando os custos sociais de reabastecer uma comunidade bem apertada em uma urbanização suburbana (conhecida pelos sociólogos como Fakinel).[1]

Em 1958, Young também escreveu a influente sátira “The Rise of the Meritocracy”, originalmente para a Fabian Society, que se recusou a publicá-la. Nele, ele cunhou a palavra “meritocracia”, a que deu conotações negativas, e ficou desapontado com a forma como o conceito passou a ser visto como um conceito viável, que vale a pena perseguir. [1]

A pesquisa social de Young também contribuiu para a mudança no ensino secundário, que levou à abolição generalizada das escolas de gramática e sua substituição por escolas abrangentes entre 1965 e 1976, bem como a abolição dos eleven-plus (11-plus), para nos conhecido como o curso ou teste de admissão do primário para o secundário. [4]

Nos anos 1950 e 1960, Young ajudou a fundar a Associação dos Consumidores e o Conselho Nacional do Consumidor alegando que “a política se tornará cada vez menos a política de produção e cada vez mais a política de consumo”, apresentando as idéias em um livro “Chipped White Cups Of Dover”. [2]

Em 1960, iniciou o Centro de Assessoria para a Educação [5], o National Extension College e, com Peter Laslett, uma universidade do amanhecer na Anglia Television [6], que se tornaram protótipos da Universidade Aberta, que Harold Wilson lançou em 1964, com base em sua visão . [7] [2]

Em meados da década de 1980, Young co-fundou a “International Alert”, juntamente com Leo Kuper e Martin Ennals. [8] [9]

Em 1987, ele fundou o Open College of the Arts, críticos confusos que sustentavam, que as artes não podia ser ensinada por métodos à distância. Ele também fundou a Language Line, um negócio de interpretação de telefone, para permitir que pessoas, que não falassem em inglês tivesse acesso igual a serviços públicos. Ele fomentou o trabalho de muitos pesquisadores mais jovens e “empreendedores sociais / social entrepreneurs”, fundando a seguir a School for Social Entrepreneurs (Escola de Empreendedores Sociais) em 1997. Os aspectos do trabalho de Young estão sendo desenvolvidos pela Young Foundation, criada a partir da fusão de seu Institute of Community Studies e seu Mutual Aid Centre, sob a direção de Geoff Mulgan.

Ao longo de sua vida, e particularmente mais tarde na sua vida, Young estava preocupado com pessoas mais velhas. Em 1982, co-fundou a University of the Third Age ou Universidade da Terceira Idade com Peter Laslett e Eric Midwinter, [10] e Linkage, reunindo pessoas idosas sem netos e jovens sem avós. Em 2001, co-fundou a caridade Grandparents Plus para defender mais amplamente o papel da família na vida das crianças.

De acordo com seu amigo Eric Midwinter, “Todo o seu pensamento, toda a sua escrita incisiva, todos os seus esquemas brilhantemente concebidos, todas as suas iniciativas manipuladas com astúcia foram guiadas por um método notável. Ele era um socialista utópico. Seu pensamento decorreu dos pontos de vista radicais do século XIX como Robert Owen, Saint-Simon ou Charles Fourier, com seu ódio pelo institucionalismo maciço, seja nas mãos da autoridade pública ou da grande empresa comercial”. [11]

Young foi membro do Churchill College, Cambridge, de 1961 a 1966, e presidente da Birkbeck, da Universidade de Londres, de 1989 a 1992.

Embora um igualitário, Young aceitou um “Life Peer”em 20 de março de 1978, No Reino Unido, os“Life Peer” são nomeados membros de um sistema jurídico historicamente constituído por títulos, que não podem ser herdados, em contraste com os títulos hereditários. Foi quuando recebeu o título de Baron Young de Dartington. [12] Seus muitos projetos exigiram viagens frequentes a Londres e as parcerias ofereciam viagens ferroviárias gratuitas e subsídio de atendimento num momento em que ele tinha ficado sem dinheiro. [13]

Vida “Casamentos e filhas/os”

Young se casou três vezes. Em 1945 casou-se com Joan Lawton, com quem ele teve dois filhos e uma filha. Eles se divorciaram e, em 1960, casou-se com Sasha Moorsom, um romancista, escultora e pintora com quem ele teve um filho e uma filha. Young e Moorsom trabalharam juntos em vários projetos, inclusive nos municípios da África do Sul. Moorsom morreu em 1993 e em 1995 Young se casou com Dorit Uhlemann, com quem ele teve uma filha.

Toby Young, filho de Michael Young com Moorsom, é jornalista e escritor. [14]

Referências

[1] Young, Michael (29 June 2001), “Down with meritocracy: The man who coined the word four decades ago wishes Tony Blair would stop using it”, The Guardian

[2] Dean 2002.

[3] Lise Butler, “Michael Young, the Institute of Community Studies, and the Politics of Kinship.” Twentieth Century British History (2015): 26#2 pp 203–224

[4] White, Michael (15 January 2002). “Lord Young dies at 86 | UK news | The Guardian”. theguardian.com. Retrieved 12 January 2015.

[5]”History of the Advisory Centre for Education”. Retrieved Feb 24, 2016.

[6] Briggs, Asa (1995). The History of Broadcasting in the United Kingdom:. Volume V: Competition. p. 476. Retrieved Feb 24, 2016.

[7]”The OU Story”. The Open University. Retrieved Feb 24, 2016.

[8] http://www.oac.cdlib.org/findaid/ark:/13030/kt9t1nb5sg/

[9] http://scholarcommons.usf.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1057&context=gsp

[10] Midwinter, Eric (2014) [2002]. 500 Beacons: The U3A Story. Third Age Press (Kindle Edition). Retrieved Feb 24, 2016.

[11] Midwinter, Eric (2014) [2004]. “Introduction”. 500 Beacons: The U3A Story. Third Age Press.

[12] “№47497”. The London Gazette. 23 March 1978. p. 3663.

[13]Dean, Malcolm (16 Jan 2002). “Lord Young of Dartington”. Guardian Newspaper. Retrieved Feb 24, 2016.

[14]Toby Young (24 March 2010). “My Father Would Be Pleased About the Launch of a British Space Agency”. The Spectator.

Foto: Michael Young, Baron Young of Dartington, por Catherine Shakespeare Lane, 1 June 1997

fonte: http://www.npg.org.uk/collections/search/portraitLarge/mw63347/Michael-Young-Baron-Young-of-Dartington

Pesquisa, tradução e edição de Ronald Péret.

“A vida é uma filosofia que nunca descansa: uma questão que ontem foi imperceptível torna-se seu objetivo hoje, e esta será o início do dia de amanhã.” Ronald Péret

“Life is a philosophy that never rests: a question that yesterday was imperceptible becomes your goal today, and this will be the starting the day tomorrow.” Ronald Peret. 30/08/2017 07:36:05

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.