Eu nunca fui de chorar mas por ela chorei de alegria, amor, saudade, medo, insegurança, remorso, arrependimento, chorei escondida e chorei por dentro.
Eu nunca fui de demonstrar sentimento, talvez por não saber lidar ou porque não era da minha natureza mas pra ela eu escancaro eu exagero e nem me desespero eu não me envergonho tampouco firo o orgulho, pra mim é um prazer.
Eu nunca fui de procurar alguém, me encantar ou me apaixonar mas no primeiro instante em que eu a vi eu paralisei e lutei incansavelmente do jeito que pude pra fazer ela ficar. 
Eu nunca fui de insistir quando percebia a maré agitada, não me preocupava eu abandonava, apego nunca foi minha praia com ela até falhei, pensei por um momento infortuneo que deixa-la fosse melhor pra nós, mas me enganei e embora tirasse o corpo fora depois dela eu nunca mais pertenci integralmente a ninguém.
Eu nunca foi de ouvir conselhos, mudar de ideia ou concordar eu defendia meu ponto de vista era advogada da minha convicção mas com ela comecei a duvidar e abandonar todos meus paradigmas eu me reformulei. 
Se voce assim como eu é dessas pessoas céticas e esta ai estagnada no marasmo da solidão e descrença se voce desdenha do amor cuidado com essa postura vai chegar sua hora de repensar, eu só espero que voce tirei proveito pra se reconhecer e se aperfeiçoar e que voce tambem aprenda a importancia de amar e cuidar de seu amor, a vida sozinha é possivel e interessante mas é desprovida da emoção da divisão que tumultua o nosso eu lirico, faz cravo virar lírio nos situa e nos enobrece, mesmo quando o amor não vinga a experiencia é valida pelo crescimento que só um sentimento tão genuino é capaz de ensinar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Letícia Domingues’s story.