Fica Chape

Verdão do Oeste luta para ficar na série A.

Torcedora reza pela permanência. Foto: Autor desconhecido.

Dois anos após o desastre que vitimou praticamente todo o time que viajava à Medelin para jogar a final da Copa Sul Americana, a realidade da Chapecoense é bem mais modesta: lutar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

O jogo acontecerá no próximo domingo na Arena Condá, exatamente dois anos após o mesmo gramado receber os jogadores de volta em caixões, na tarde mais triste na história do aconchegante estádio, o velório coletivo das vítimas do criminoso vôo da La Mia.

Hoje e no próximo domingo as lembranças serão invitáveis e para o povo de Chapecó serão dias dolorosos, mas quando a bola rolar o que vai estar em jogo é a permanência da Chape na série A.

O time que entrou no coração de todos os brasileiros, que está entre os mais queridos no mundo, que sofreu tanto e mesmo assim recusou a proposta de disputar o Campeonato Brasileiro sem poder ser rebaixado vai ter que buscar forças para ficar na elite do Brasileirão.

A campanha foi fraca, se o rebaixamento acontecer não será injusto esportivamente, mas por tudo que aconteceu em Medelin há dois anos a Chapecoense não merece sofrer mais. Que o Espírito de Condá esteja com os jogadores no domingo, que a força de Danilo esteja com Jandrei, que o faro de gol de Bruno Rangel esteja com Leandro Pereira, os gols decisivos de Kempes com Wellington Paulista, a classe de Cléber Santana com Diego Torres, a marcação de Josimar com Amaral.

O Verdão do Oeste só depende de uma vitória para ficar na série A. Que o Índio Condá fleche o Tricolor e salve a Chape do descenso. Por tudo que aconteceu há dois anos, fica Chape. Por tudo que a Chapecoense passou a representar, vamos, vamos Chape!