NÃO jogue lixo no LIXO.

É melhor você parar de jogar o lixo no lixo. E eu vou te explicar o porquê.

Já parou para pensar para onde vai o "lixo" que sai da sua casa?

Ilustração real de um lixão em algum lugar do mundo.

Ele, provavelmente, está ai no meio dessa foto.


Desde cedo, nos ensinaram a jogar o lixo no lixo. Primeiro porque é feio jogar lixo na rua, causa enchentes, polui o meio ambiente. E num mundo onde estamos em 7 bilhões de pessoas e cada um gera em média 1kg de lixo por dia (média para uma família brasileira com 3 pessoas), essa foto retrata apenas uma pequena parte do que é jogado fora.

Em São Paulo, a maior parte do lixo tem como destino o aterro sanitário, que apesar de não ser o ideal, já é uma alternativa melhor que o famoso lixão ou os aterros controlados.

Os aterros são afastados, tem vida útil de 10 anos e necessitam manutenção pelos próximos 20 anos seguintes (tratamento do chorume e queima do gás metano).
Como funcionam os lixões e aterros sanitários

Para o ano de 2017, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB) conta com 2 bilhões de reais de orçamento para tratar, coletar e gerir o lixo na cidade de São Paulo.


Nasci e cresci em São Paulo e digo pela minha experiência nessa cidade, (apesar de crer que deve ser o mesmo em outras metrópoles), vivemos e crescemos numa cultura onde o consumo é a fonte de energia de tudo na vida. Para se alimentar; tem o supermercado. Para se divertir; há shoppings, lojas, TVs, etc. Para saúde; farmácias para compra de remédios e hospitais para indicar qual deles é o mais adequado. Não nos ensinaram a plantar, a gerar energia, coletar água da chuva, plantas medicinais, terapêuticas, entretenimento sem consumo, entre outras coisas, para preencher o vazio interior. Tudo o que consumimos gera resíduo.

Ninguém me ensinou como devo lidar com o meu "lixo".

A palavra lixo nos dá a idéia de que não somos responsáveis pelos resíduos que geramos todos os dias. Você deve apenas colocar os materiais que não servem mais numa sacola plástica e colocar para fora de casa. Depois disso, você "fez a sua parte" em jogar o lixo no "lixo".

Infelizmente, não é bem assim que funciona no planeta Terra. E assim como a sua casa, a Terra não tem onde colocar o saco de lixo para fora. Mesmo fora da atmosfera terrestre, não há espaço para resíduos (e hoje sabemos que há muuuuito orbitando o nosso planeta).

Sondas e resíduos orbitando a Terra

Na foto acima fica claro que não existe fora. E quando paramos para pensar no que entra e sai da nossa casa, muita coisa muda. Desde julho de 2016, comecei em casa um sistema de compostagem doméstica que mudou a forma como eu vejo os resíduos que eu gero, tanto os orgânicos quanto os secos.

O grande ganho da compostagem não é a transformação do resíduo em adubo ou fertilizante, mas a forma como vamos tratar o consumo e os resíduos que geramos todos os dias.

A reciclagem de resíduos orgânicos pode ser feita de diversas maneiras, e uma delas é pelo processo de compostagem que é muito simples e converte o "lixo" em adubo (terra) e bio fertilizante líquido (sem cheiro), conforme mostra a figura abaixo.

Processo Completo da Compostagem

Cerca de 50% do lixo doméstico é orgânico. E dentro de casa, antes de você colocar o saco de lixo "para fora" você mistura o lixo seco (papel, plástico, embalagens, etc) com o lixo orgânico. Isso inviabiliza qualquer tipo de reciclagem. O único destino viável nesse caso é o aterro sanitário.

É importantíssimo mudar a relação com o lixo antes de colocar ele para fora de casa.

Em casa, separo o lixo reciclável, orgânico e lixo comum. São 3 tipos de coleta doméstica. O lixo reciclável e comum é o que vai para "fora", com o reciclável tendo como destino locais adequados para reciclagem. Enquanto isso, o lixo orgânico é reciclado antes de sair de casa.

Lembra que eu falei que metade do lixo doméstico é orgânico? Portanto 50% do que iria para fora de casa, fica para ser reciclado e virar adubo e bio fertilizante.

O lixo é a nossa responsabilidade.

Precisamos pensar no lixo, com certeza. Ele é a nossa responsabilidade. Mas mais importante que saber o destino correto é atacar a origem, ou seja, precisamos ter consciência do nosso consumo. Quando for no supermercado, pense no que você consome antes de jogar o "lixo" no lixo. Em vez de frutas cortadas e embaladas, compre frutas embaladas naturalmente (mais conhecidas como cascas). Essas cascas e demais resíduos viram adubo pelo processo de compostagem.


Estou com um projeto chamado Horta do Amor que pode te ajudar a entender como funciona a compostagem, a criar uma composteira doméstica, como lidar com ela e dar o destino correto para os resíduos orgânicos, além de montar uma horta na sua varanda ou quintal e desenvolver um sistema doméstico de captação de água de chuva. Basta entrar em contato por esse post ou curtir a página no facebook ou no instagram. Lá compartilho diversos conteúdos sobre compostagem, meio ambiente, hortas e iniciativas do mundo todo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Phillipe Nino’s story.