"Ano que vem eu começo…" — Chegou a hora!

Esta que nem o Homer?

Tome um tempo para refletir: quantas vezes em 2017 você se planejou para começar "ano que vem"? Pare 2 minutos e pense nos planos que você desejou e até organizou para começar depois — uma dieta, uma revirada no trabalho ou uma decisão pessoal importante.

Bem, estamos em primeiro de janeiro de 2018 — a hora chegou. Para você que se programou para fazer algo no futuro: "it's time!" (eu sei, foi uma péssima referência).

E é sobre isso que quero falar hoje: passado, presente e futuro.


Desde que nos tornamos homo sapiens sapiens (ou "homem sábio"), nos relacionamos com o presente passado e futuro. Vivemos no presente, nos baseamos no passado para construir um futuro desejável. Porém nem sempre lembramos disso.

#Passado

O passado é uma ferramenta. Parece estranho, por isso explico aqui. O passado é como uma grande lousa depois de uma aula: cheia de rabiscos, anotações, lembranças, métodos, etc.. O passado nada mais é do que uma série de registros e dados do que já se foi: e com base nisso, podemos entender o contexto de nosso presente.

O problema é que extrapolamos essa definição de passado quando ficamos presos a esses dados e registros, nos movimentando apenas com base nele, e não no presente que estamos vivendo. E isso acaba nos deixando tão aprisionado que não sentimos nosso estado atual de espírito: e acabamos vivendo um presente exclusivamente para algo passado. E isso vira uma bola de neve sem fim, podendo se transformar em uma depressão.

O passado é uma excelente ferramenta para entendermos o quanto crescemos. Em minha humilde opinião, o passado serve para termos um parâmetro de desenvolvimento intelectual, espiritual, etc.. O passado é um ponto focal, só isso. Não precisamos dele e não dependemos dele para nada. Hoje vivemos em um mundo que não importa o que você é e nem de onde veio, mas sim o quanto esta presente.

#Presente

O que você esta fazendo neste momento? Você esta realmente aqui? Você esta de fato, ou apenas fazendo uma série de coisas superficialmente ao mesmo tempo?

Essas perguntas nos ajudam a voltar para o momento presente. E este momento é apenas a sua respiração. Pense nisso.

O presente é um campo de ação. É aqui que as coisas estão e que podem ser alteradas. Eu costumo chamar o presente de um laboratório: pois tudo esta aqui para ser experimentado. E pessoal, estamos na economia da experiência: nada melhor do que isso.

Se você esta aqui, não olhe para o passado e nem para o futuro, mas comece percebendo o momento presente e comece a tomar pequenas ações que te levam a ser uma pessoa melhor. É simples. E o que é uma pessoa melhor? Fácil: aquela que você quer. Lembre-se: você não precisa agradar ninguém, apenas a si mesmo.

Esteja pleno e consigo a todo momento e a felicidade virá. Isso me lembrou este poema do Tao Te Ching. A única coisa que existe é você e as pessoas a sua volta. Nada mais.

E um conjunto de "presentes" formam o que chamamos de futuro.

#Futuro

O futuro não é existe: é apenas uma construção. Pois todo momento que for futuro, não será 100% certo, mas sim uma suposição, hipótese ou expectativa.

Há muito o que falar sobre o futuro, mas me limitarei a falar sobre os três termos acima. Acredito que eles consigam descrever bem o que é o futuro, e como você quer se relacionar com ele:

  • Suposição: podemos supor uma série de coisas, sem compromisso. Uma suposição desinteressada pode ser algo muito bom: você não cria vínculo nenhum e, quando não se realiza da forma como você supôs, esta tudo bem. Você não tem nenhum compromisso. Seja mais desinteressado e verá que o futuro será mais fluido.
  • Hipótese: este é o tipo de futuro para os apressadinhos: quando você quer que uma ação no presente resulte em algo, você tem uma hipótese. Jogue com isso: crie hipóteses e tome ações no presente. Isto te ajuda no desapego e a viver no presente, tomando ações conscientes. Ações com base em hipóteses te ajudam a ver a vida como um laboratório.
  • Expectativa: aqui devemos ter cuidado. A expectativa faz você ter um excesso de futuro, caindo na ansiedade. Portanto quebre todas as suas expectativas e vá para a suposição. Nas duas opções acima, você terá um caminho mais fluido e feliz.

É claro que o futuro é muito mais que isso. Mas não importa muito, pois ele não existe mesmo. Certo?


Existe uma analogia que gosto de usar para representar o tempo:

o passado é o chão; o presente é a nossa presença; e o futuro são os olhos no horizonte.

Comece 2018 realizando o que planejou e vivendo o momento presente. Afinal, a única coisa que de fato existe neste momento é um texto em sua frente e você lendo carinhosamente (espero).

Portanto vamos ser mais carinhosos com nós mesmos e criar ações no presente que nos leve ao nosso futuro desejável.

Já sabe qual futuro você deseja? Comece a cria-lo hoje.