Coisas que aprendi no meu aniversário

(uhul!)

Em meu aniversário aprendi coisas muito valiosas que, por mais intrínsecas que estejam em nossos comportamentos e palavras, muitas vezes não entregamos o valor necessário para tal.

Como designer, aprendi a notar alguns comportamentos valiosíssimos que reverberam aspectos muito positivos para o mundo profissional.

Abaixo colocarei apenas três deles:


Agradecer

O agradecimento de votos positivos no seu aniversário faz com que você internalize todas aquelas palavras positivas para sua vida. A partir do momento que você faz isso realmente, e não apenas da boca para fora, o seu dia começa a ser diferente.

Para o mundo profissional, levo o mesmo aprendizado: agradecer todo feedback e reconhecimento em nossas ações profissionais. Isso nos deixa mais humanos e menos parecido com os computadores. E o mais importante: nos deixa mais vital para exercermos nossas funções.

Retribuir

Quando agradecido, comecei a retribuir os votos positivos para as pessoas, reconhecendo aspectos positivos também nelas. Depois de receber e aceitar o que estavam falando bem de mim, falei bem delas. Isso nos deixou em um grau de conversa elevado, leve e tranquilo.

Para o mundo profissional, levo o reconhecimento para com os meus colegas: devemos reconhecer os aspectos positivos de cada um de nossos pares. Muitas vezes, focamos apenas no que há de errado e no que devemos resolver. Mas poucas vezes focamos nas questões ótimas de nossos amigos.

Retribuir e se entregar para o próximo gera uma empatia grande no relacionamento que promove uma sincronia para solucionar problemas.

Conversar

Após a troca de votos, segui sempre com uma boa conversa: o que a pessoa tem praticado pessoalmente, profissionalmente, entre outros assuntos. Conversando, tive muitas felicidades em saber o que as pessoas próximas a mim estavam tramando.

Para o mundo profissional, levo o carisma. Ao se interessar realmente sobre as pessoas a sua volta, acabamos resgatando um aspecto humano: relacionamento. Independente se vai fechar negócio ou não (isso é o pós), podemos sempre olhar o nosso próximo como seu humano, e não apenas como um crachá.


De novo estou falando aqui de aspectos simples da vida que interferem a nossa pessoa em todos os sentidos, inclusive no profissional.

Dos três verbos acima, qual deles você não pratica?

Pegue esse verbo que ainda não pratica e experimente hoje!

Veja a diferença e, se quiser, compartilhe comigo. Ficarei feliz em saber que fizemos o bem juntos.