“Todos os dias faça alguma coisa de que você tem medo.” Eleanor Roosevelt

Bom , pra começar contarei brevemente um pouco da minha história…

Sou Paola, tenho 24 anos e hoje posso dizer que sou Desenvolvedora, sim, Programadora.

Meu primeiro contato com programação foi no colégio com um curso técnico de programação, infelizmente peguei a turma inicial a qual não tinha uma ementa muito definida e com isso aprendi só o básico de lógica de programação. Com isso ao terminar o ensino médio no Pedro II( Pedro II tudo ou nada?? Tudo !!) eu acabei optando por prestar o vestibular para área que eu mais me identificava, estatística.

Depois de longos três anos cursando estatística eu me vi apaixonada pelas matérias de programação e vi que o mercado tinha essa escassez de programadores com conhecimentos em matemática.

Decidi largar tudo e fui tentar a vida numa faculdade particular, porém comecei errando ja que eu escolhi Sistemas de Informação, o qual é um curso super voltado para gestão e não era isso que eu queria. Mas sempre há tempo de mudar, logo depois do primeiro semestre eu fiz a transferência para Análise e Desenvolvimento de Sistemas. E assim foi , estou agora no último semestre do curso.

Mas nem tudo foi perfeito, pra começar eu terminei o ensino médio e precisava trabalhar, acabei optando por trabalhar em loja de Shopping já que me pagaria um salário razoável mas claro era super desgastante.

Em um momento eu senti que precisava largar esse emprego pois eu já cursava Sistemas de Informação e precisava conseguir um estágio logo no inicio da faculdade pois no curso de Estatística eu acabei deixando para depois e acabei caindo no problema da experiência. Assim fui, larguei meu emprego e fui para um estágio que me pagava uma bolsa auxilio de R$500,00 mas era muito prazeroso já que eu ensinava informática básica para idosos além de montagem e manutenção. O prazeroso era pelas aulas e pela oportunidade de poder ensinar a um idoso o que era a internet o que era um mouse um teclado, redes sociais e ele retribuir com o aprendizado, praticamente transformar um analfabeto digital( no melhor sentido ) em uma pessoa atualizada, engajada com computador.

Em pouco tempo consegui uma promoção no estágio passando assim dar aulas de Photoshop, Illustrator, além de eu não ter vocação para design eu nunca tinha tido contato com eles, mas aprendi e consegui me manter no estágio.

Pouco tempo depois eu tive uma oportunidade na área de SAP, a qual eu sempre soube que era uma área fechada e seria uma ótima oportunidade. Eu me candidatei, passei e entrei no curso que me mostraria o que era um pouco de cada área no Sap e ao final iria escolher uma. Pela facilidade com números eu escolhi Finanças.

Não desmereço nenhum tipo de aprendizado, até porque nunca se sabe o dia de amanhã mas eu sentia que eu precisava trabalhar com desenvolvimento. Mas eu tinha medo, eu costumava ler muito sobre o assunto, fazia pequenos desafios matemáticos mas acho que no fundo nunca tive coragem de assumir um projeto ou de abrir o Git e me arriscar em um projeto pequeno.

Bom, em 2015 aconteceram vários eventos de programação, eu me permiti ir neles e ver se realmente eu me interessava por isso. Sendo assim eu fui na Mobile Conf e na Ruby Conf, só que meus conhecimentos eram básicos a ponto de me perder nos assuntos de várias talks.

Mas pra me dar a ultima chance eu fiz um esforço e me aventurei sozinha na Python Brasil. Nos outros eventos eu consegui ir graças ao meu marido que palestrava e me levava na "mala". Esse não, eu tive que pegar avião, ônibus, ficar sozinha no hotel, literalmente me virar sem conhecer ninguém.

Eu me surpreendi com a receptividade da comunidade, ao final do evento eu consegui vários contatos, amigos, colegas. Além de aprender muito, participei de palestra de inciantes de workshops. Conheci o projeto do Django Girls, falei com ícones do Python, tirei fotos , me diverti no Kart.

Claro que depois disso eu quis me forçar a usar o GitHub, ler mais, aprender mais e claro conseguir um emprego nessa área. Deu certo, dois meses depois da Python Brasil eu consegui meu primeiro emprego de Desenvolvedora, sim sou Junior mas por mim entraria como estagiária, tenho muitas coisas a aprender, cada dia eu me fascino com as coisas, sempre acho que falta muito pra eu me tornar uma desenvolvedora completa mas perdi um pouco de medo. Hoje eu leio sobre as coisas e tento implementá-las, tento criar pequenos projetos. Me permito errar, me permito não ter medo .

Aprendi muitas coisas nesse pequeno espaço de tempo. Ganhei também a oportunidade de ser uma das organizadoras do Django Girls Rio e colaborar com o Pyladies Rio. Com isso vi que todos que eu conheci em eventos anteriores e na Python Brasil foram mais que solícitos quando eu fui pedir apoio ao Django Girls.

Eu acho que devo parte do que me tornei hoje a comunidade de Python, já consegui retribuir com 1% ajudando as meninas que irão participar do Django Girls, tornando o primeiro contato delas com Django maravilhoso.

Deixo aqui meus agradecimentos a toda comunidade de Python.

E fica a mensagem inicial, ainda que tudo pareça dar errado, talvez seja só um caminho de aprendizado.

“Todos os dias faça alguma coisa de que você tem medo.” Eleanor Roosevelt

Pra quem tiver interesse no que aconteceu depois..

https://medium.com/@pk_pacheco/o-que-aconteceu-depois-8fe6400648f8#.82k4g7lnr

Show your support

Clapping shows how much you appreciated [PK] Paola Katherine’s story.